Sunday, May 20, 2012

A Grain of Sand



* sugestão:  veja o filme  A Grain of Sand *

 Brendom Grimshaw é um respeitável senhor com uma respeitável idade – 86 anos – que construiu o seu paraíso privado. Comprou uma ilha e fez dela uma grande reserva natural.

Grimshaw comprou a Ilha Moyenne, do arquipélago das Seychelles, pelo equivalente a dez mil euros no ano de 1964. Desde então e com a ajuda do seu assistente Rene Antoine Lafortune, plantou 16 mil árvores e introduziu 111 tartarugas, sendo que atualmente a ilha serve de casa a 120 destes animais que estiveram muito perto de se extinguirem neste arquipélago.

Mas infelizmente, este pequeno paraíso pode ter os dias contados. Atualmente, a ilha vale mais de 35 milhões de euros e aguça o interesse de várias empresas, em particular de hotéis de luxo. Apesar do senhor Grimshaw não aceitar qualquer oferta, não tem filhos ou herdeiros e a sua idade avançada leva a crer que não viverá muito mais anos. Basicamente, os hotéis estão à espera que o senhor morra para se instalarem na ilha e destruírem a reserva.
[...]

O documentário «A Grain of Sand» – um grão de areia – está a trabalhar para mostrar ao mundo a missão de Grimshaw e o risco de um trabalho de mais de 40 anos ser apagado
... 

Saturday, May 12, 2012

Guerra Cibernética VS Poder Popular

Uau! Uma incrível resposta, e após 44 horas os ataques diminuiram. Eles podem voltar ainda mais fortes. Vamos nos preparar.
(Abaixo: Postado a  3 março 2012)
Neste exato momento, o site da Avaaz está sob um ataque pesado. Segundo um especialista, um ataque deste tamanho provavelmente veio de uma entidade governamental ou de uma grande corporação, com ataques pesados, simultâneos e sofisticados vindos de todo o mundo para derrubar o nosso site.

Nós estávamos esperando por isso. Nossas campanhas movidas por pessoas empoderadas sempre foram destemidas, e temos enfrentado os piores atores do mundo, causando sérios danos a eles - dos regimes sírio e chinês até Rupert Murdoch, as grandes petroleiras e o crime organizado. A ditadura síria chamou nosso ativista de "o homem mais perigoso do mundo”, e um inquérito no Reino Unido revelou recentemente e-mails entre a corporação de notícias de Murdoch e os mais altos níveis do governo dizendo que a campanha da Avaaz contra Murdoch era sua maior preocupação. Muitos se perguntavam quando essas pessoas viriam atrás de nós.

E começou. Nós temos campanhas urgentes sobre os oceanos, florestas e da Síria que precisamos lançar, mas o ataque vem acontecendo já há 36 horas seguidas, ameaçando a nossa capacidade de manter nosso trabalho com as campanhas. Por causa do alto nível de segurança, o nosso site ainda está funcionando, mas não é suficiente. Precisamos mostrar a esses atores que, quando eles atacam a Avaaz, eles estão mexendo com as pessoas. E o poder popular não pode ser intimidado ou silenciado, ele só fica mais forte. Clique ao lado para doar para um fundo de defesa da Avaaz para elevar a nossa segurança para um nível mais alto, e mostrar aos que nos atacam que tudo o que eles atirarem em nós só nos fará mais fortes.


(link

A Avaaz esta fortemente envolvida em diversas causas 
-tão justas quanto  urgentes! 
Visite o site

*

O ditador do Uzbequistão está forçando médicos a removerem os úteros de mulheres sem o conhecimento ou consentimento delas para promover o "controle de natalidade" em todo o país. É um crime perverso e sangrento contra as mulheres orquestrado por um homem poderoso e abominável. Chegou a hora de acabar com isso.

Islam Karimov é um dos piores ditadores do mundo e até mesmo já cozinhou ativistas da oposição vivos. Mesmo assim, ele é financiado com milhões de dólares pelo governo dos EUA, que lhe pagam pelo transporte de tropas militares através do Uzbequistão. Essa última rodada de brutalidade, dessa vez contra as mulheres de seu país, trouxe à tona, numa escala global, as atrocidades desse monstro. Vamos usar esse momento terrível para persuadir seu maior financiador e dar um fim em Karimov.

A Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, pode restabelecer sanções militares e pressionar os EUA e outros poderes a apoiá-la. Ela já condenou publicamente Karimov por abusos de direitos humanos e esse mais novo recente ataque às mulheres -- um assunto que lhe é caro -- somente torna a situação mais grave. Assine a petição exigindo que Hillary acabe com o reinado de Karimov e pare o ataque brutal às mulheres


ASSINE A PETIÇÃO!  
(e depois, faça e divulgue o "SMS da Hillary")


Tuesday, May 08, 2012

o número de 2 faces...


...num tom intimista, o autor do artigo convida-nos a acompanhar o seu rociocinio, pesquisas e algumas deduções sobre o polémico número 13...


[...] 
 Mostrar o caráter harmonioso do simbolismo do número treze não encerra nosso estudo, porque sabe você e sei eu que o número treze carrega duas faces - como as moedas - uma virada para o sol, outra para a escuridão. De um lado, sorte e benefício; de outro lado, azar e prejuízo. Viremos a moeda então. E ao fazê-lo, o que simplesmente acontece é que o lado benéfico se escondeu, desapareceu, retirou-se, foi-se. E acredite que é exatamente isso que acontece quando uma tradição (ou uma doutrina), sofre um obscurecimento, uma decadência e seu sentido profundo deixa de ser compreendido. Ela continua sobrevivendo na forma, mas sem ter mais, viva e presente, aquela força suprema que a originou e que antes a penetrava e vivificava. Virada a moeda, o que surge é a reunião dos doze na qual falta o décimo terceiro, por isso há que se iniciar a busca de alguém capacitado para preencher a vaga; ou, dito de outra maneira, é necessário reencontrar o centro que, de algum modo, se ocultou.

Permita-me pegar na estante, aqui ao meu lado, um livro antigo, as amareladas e já meio soltas folhas, com a inscrição em algarismo romanos MCMLIV, Rio de Janeiro, Casa Editora Vecchi, coleção "Os Audazes", onde se lê o título em vermelho: Os Cavaleiros da Távola Redonda, tradução de Marina Guaspari. Interessa-me nele a parte que descreve a Távola Redonda, cópia da mesa da Última Ceia, em torno da qual se sentavam os doze cavaleiros principais do Rei Artur, cujos nomes foram gravados na face dianteira dos espaldares das cadeiras, com letras douradas traçadas por mãos invisíveis. Leia o que está escrito na página 94:

Estando todos acomodados, restaram dois lugares vagos, à direita e à esquerda de Artur. Nenhum dos dois trazia nome no espaldar. O rei notou com tristeza a ausência de dois cavaleiros, pois era seu desejo hospedar a irmandade completa, no dia de suas bodas. Mas, Merlin, que sabia ler o futuro e conhecia a razão oculta desses dois assentos vazios, pousou a mão no ombro de Artur e consolou-o, dizendo:

- Tende paciência, senhor. Em breve uma destas cadeiras vagas será ocupada por uma pessoa que haveis de conhecer e admirar; não vos posso dizer agora quem. A outra, que chamo "cadeira perigosa", não receberá hoje nem amanhã, nem por muitos anos, nenhum cavaleiro. E ai de quem pretender instalar-se nela! Vede o que está escrito no espaldar, em lugar do nome ocupante! 
 
[...]
leia mais:
(http://portodoceu.terra.com.br/artesimbolismo/13.asp)


aqui, lembram-nos:

Exemplos de Pessoas Nascidas no dia 13

O cantor e compositor Stevie Wonder, Thomas Jefferson (presidente dos Estados Unidos), Gary Gasparov (um dos maiores campeões de xadrez de todos os tempos), L.Ron Hubbard (fundador da Cientologia) e Margaret Thatcher (primeira-ministra da Inglaterra considerada a mulher mais influente do século 20).



Sunday, May 06, 2012

ainda em Espanha...



Em Espanha, com a IgualdAdanimal, o activismo pela causa tem estado em alta...







Saturday, May 05, 2012

Quando os elefentes choram...

CARTA DE UM ELEFANTE 
AO REI DE ESPANHA


Senhor Rei da Espanha:
 Sou um elefante de Botsuana, o país africano em que Vossa Majestade esteve recentemente para descansar de suas fadigas, caçando-nos em um safári. Nós, elefantes, somos mansos, ainda que furiosos quando nos atacam. Tambem nossos deuses, os da savana, são deuses bons, não vingativos, mas zelosos de seus habitantes.

Talvez por isso quiseram preservar-lhe a vida, importante para seu país, e apenas advertí-lo com sua queda e suas fraturas no acampamento antes de sair para a caçada, pois seria melhor para Vossa Majestade, que já viveu mais do que qualquer um dos nossos, que dedicasse seu tempo a outras coisas, ao invés de vir aqui para matar-nos.
Por exemplo, importar-se com essa Espanha que está desmoronando economicamente e com esses 52% de jovens que sofrem a agonia do desemprego depois de tantos anos de estudo, ou simplesmente desfrutar em ver os animais a correr e divertir-se em seu habitat natural, mas sem espingardas, com as mãos vazias ou cheias de flores.
Sabemos que Vossa Majestade não fez nada de ilegal vindo ao nosso país e pagando milhares de euros para matar um dos nossos. Isto é permitido pelas leis deste país. Para muitos, matar gratuitamente os animais é como se fazia antigamente na caça aos negros e índios, para escravizá-los.
Mas, basta algo ser legal para que possa ser feito ? Existem também as leis do coração, não escritas, ou aquelas dos sentimentos humanos, que são superiores ás nossas, assim como certos exemplos que um rei deve oferecer em relação à sua vida, inclusive privada.
Vossa Majestade, desde seu primeiro discurso como Rei, afirmou que queria sê-lo de todos os espanhóis. Eu sei que na Espanha existe muita gente que não se importa em ver os animais sofrer ou morrer, e que até se divertem com isso. Mas existem também milhões, principalmente de jovens, que amam os animais e querem protegê-los e com eles conviver. Esses milhões de espanhóis não creio que aprovem a imagem de um Rei chegando a esta Africa, que é nosso território, com escopeta ao ombro, para distrair-se com disparos dos quais não podemos nos defender.
Ouvimos dizer, Majestade, que possui uma das melhores coleções de escopetas de caça que existem. Podemos fazer-lhe uma sugestão ? Faça com elas um museu e anuncie aos espanhóis que seu Rei não vai mais matar a qualquer animal e que nos anos que ainda lhe restam – que desejamos sejam muito mais do que nós vivemos – vai dedicá-los a distrair-se em favor da vida e não da morte.
Sabemos que nós, os elefantes, como o resto dos animais não temos direitos. Nascemos para ser caçados e mortos. Mas queremos lembrar-lhe que não fazemos mal a ninguém. Somos sensíveis e humildes e até nos parecemos a vocês, os Homo Sapiens. Dizem os zoólogos que somos dos raros animais que respeitam os seus mortos e dos poucos que sabem reconhecer-se, como os humanos, na frente de um espelho.
É verdade que para vocês, os humanos, os elefantes possam ser considerados inúteis, pois não somos indispensáveis para nada, mas não é por isso que as pessoas tenham o direito de matar-nos. Também as monarquias de hoje – e digo com todo o respeito – parecem inúteis para muitos, mas não por isso estão sendo caçados os reis ou as rainhas.
E falando de rainhas, gostaríamos de saber o que pensa a sua discreta e querida rainha Sofia do amor de Vossa Majestade pela caça aos elefantes. Como mulher e como mãe, deve saber que em nossa organização, na savana, vivemos um regime matriarcal. Elas, as elefantas, organizam e dirigem a nossa comunidade. São mães amorosas, dão de mamar a seus filhos durante três até cinco anos e sofrem como vocês humanos quando os mesmos são mortos por capricho.
Por último, gostaríamos que seus netos e bisnetos, Majestade, um dia consigam divertir-se sem necessidade de vir à Africa para arrancar nossas presas de marfim para adornar os palácios reais com esses troféus de morte.
Talvez, inclusive, nem poderão fazê-lo porque restamos apenas 30.000 elefantes em todo o mundo e, pelo ritmo que nos matam, seus netos já não terão como fazê-lo, pois estaremos extintos. Terão que conformar-se em caçar baratas, que dizem ter um milhão de anos e que resistem até às radiações atômicas. Nós, apesar de maiores, somos mais frágeis. Talvez por isso somos tão amados pelas crianças, as quais gostam de divertir-se conosco. Vivos, e não mortos.
Por fim, Majestade, desejamos desejar-lhe, em nome de nossos deuses, que se recupere logo do susto que lhe demos, que não era para matá-lo, mas apenas para fazê-lo pensar que seria melhor para Vossa Majestade que, na hora em que deixar este planeta, os elefantes que ainda estejam vivos possam chorar por vós em vez de nos alegramos pelo desaparecimento de um verdugo.
Os ventos da selva são misteriosos, Majestade. Por que não nos presenteia suas escopetas enquanto vivo ?
Com respeito e em nome de todos os elefantes de Botsuana
(a carta está em muito lado... mas foi retirada daqui)




Tempos houve em que poses destas eram simbolo de status e... pasmem, coragem!
Eram cobiçadas e exibidas com orgulho...

O nivel de consciencia mudou muitas mentalidades e hoje são apenas uma imagem deprimente...

Espelho de falta de informaçao e tato social; na medida certa do antropocentrismo, cobardia e mesquinhes humana.