Wednesday, April 29, 2009

Animais: novo debate previsto - participe!

O debate sobre os Direitos dos Animais que passada quinta-feira decorreu no “Aqui e Agora”, da SIC, acabou por ser essencialmente um debate sobre as touradas e os circos com animais. Embora estes sejam temas muito importantes que havia que tratar, foi, ainda assim, claramente insuficiente para tratar outras questões igualmente importantes, nomeadamente as diversas questões acerca do modo como os animais, de uma maneira geral, e particularmente os animais de companhia, são tratados em Portugal, e sobre o estado de desprotecção praticamente total em que estes se encontram no país, com o drama do abandono, da negligência e do exercício de violência contra estes animais a adensar-se constante e impunemente em Portugal, apesar dos esforços de milhares e milhares de pessoas, a título particular, e de centenas de grupos e associações de protecção dos animais, para fazerem frente a esta calamidade, tentando estancá-la.

Felizmente, foi o próprio apresentador do programa, Rodrigo Guedes de Carvalho, que considerou importante, e prometeu-o, promover um outro debate sobre estas questões. Pela parte da ANIMAL, Miguel Moutinho transmitiu a Rodrigo Guedes de Carvalho e a Helena Figueiredo, Produtora Executiva do “Aqui e Agora”, essa preocupação: a de que este importante tema tinha ficado por tratar e que seria urgente e fundamental tratá-lo num outro programa.

E ontem, no site da SIC, Rodrigo Guedes de Carvalho, que é tambem Subdirector de Informação desta estação, assina o seguinte artigo de opinião, que é tambem um apelo através do qual anuncia o cumprimento da promessa que fez no programa:


Direitos dos animais
Nota de Rodrigo Guedes de Carvalho

Como eu receava, o tempo acabou por ser pouco para tema tão apaixonante. Agradeço a todos os que contribuiram para uma extraordinária adesão ao site da SIC, que demonstra bem que muito mais haveria para dizer.

Uma vez que não gosto de faltar a promessas, gostaria de promover, em breve, um novo debate que permita abordar questões importantes que acabaram por não ser discutidas: a relação das pessoas com os animais de companhia, o crescente número de abandonos de cães e gatos, a falta de legislação que proteja os animais (ou a ausência de cumprimento da lei vigente) a questão dos chamados cães de raças perigosas, o tráfico de animais exóticos, e, o mais importante, a grande diferença entre ter um animal e realmente gostar de animais.

Gostaria que nos enviasse para direitosdosanimais@sic.pt o seu contributo, com ideias para discussão. Obrigado.

Cumprimentos do Rodrigo Guedes de Carvalho




Por um “Aqui e Agora” sobre os animais de companhia e os outros animais, os problemas que os afectam e as soluções que a sociedade e o estado português devem criar para lhes responder, por favor participe, mais uma vez:

· Por favor, envie um e-mail com as suas opiniões acerca destas questões e de como é importante discuti-las e resolvê-las para direitosdosanimais@sic.pt

· Por favor, deixe o seu comentário sobre este tema, sobre os muitos problemas que afectam os animais – nomeadamente os animais de companhia – em Portugal e sobre a importגncia de o tratar no “Aqui e Agora” na secção de comentários da página de opinião de Rodrigo Guedes de Carvalho em
http://sic.aeiou.pt/online/noticias/opiniao/Debate+dos+direitos+dos+animais.htm.
(circular da animal com negritos meus)
* * * * * * *
um link muito útil com a (ainda) imperfeitissima lei que temos para todos os que vezes sem conta se debatem com atropelos e desrespeito aos animais :

para quem não viu...

No blog da animal encontra esta e outras notícias sempre actualizadas alem de várias acções de intervenção a decorrer que precisam da manifestação de todas/os e cada um/a de nós.
* * * * * * *
... ou para quem pretende rever o programa onde muito recentemente esteve em debate os direitos dos animais em Portugal, aqui fica o vídeo .
*
O inquérito sobre as touradas no DN já acabou, mas o artigo e comentários estão disponíveis para ser lidos.
*
Leia a notícia sobre a crise que a industria tauromáquica enfrenta com o retorno da luta contra as touradas: link
*
a reacção de vários deputados ao debate “Aqui e Agora” sobre os Direitos dos Animais e sobre a intenção de legislarem para proibirem a manutenção e o uso de animais em circos


Miguel Moutinho, Presidente da Animal (primeira pessoa à esquerda na foto), esteve recentemente no Parlamento a fazer entrega da petição de 18.000 assinaturas recolhidas visando a criação das leis necessárias a uma protecção mais eficaz e justa aos animais em Portugal

eu tinha que gostar muito deste prémio! :-))


A gentileza da minha muito querida Sam levou-a a endereçar-me o bonito selo acima. Fiquei encantada, confesso; Amizade... Informação... duas coisas que considero fundamentais para a evolução do mundo: a primeira se sincera vai regra geral buscar o melhor que há em cada ser e a segunda se correcta ajuda a que a indispensável evolução se faça pelo caminho mais rápido e eficaz. Sam, adorei!

Endereço o prémio a todas pessoas e blogs amigos que habitualmente me visitam e funcionam na base da amizade e correcta divulgação de informação.

Saturday, April 25, 2009

Michelle Obama: Ladie's First! :-)


Michelle Obama: Ladie's First from Spam Cartoon on Vimeo.

http://www.spamcartoon.com/

quando o corpo é um espelho das emoções...


O teu corpo não mente é um pequeno livro bastante interessante.

podem ler um trecho aqui

Um pouco na linha de Louise Hay, em que cada doença corresponde a uma determinada percepção de acontecimentos vivenciados pelo doente.

Já tinha lido algures sobre o livro quando lhe peguei -e porque conheço quem padeça de hepatite C e vaaárias mulheres com cálculos de vesícula, procurei esses dois ítens. Já conheço tambem a visão de Louise Hay sobre estas duas doenças e respectivos perfis psicológicos associados.

Hepatite C é um clássico entre quem se sente "um bocado às escuras", não domina a situação -é pelo contrário efeito dela.Tem terreno mental e emocional fértil (não esquecendo o físico, óbvio...) entre toxicodependentes e curiosamente tambem entre pais recem-separados que perdem o tipo de contacto assíduo que tinham com os filhos e núcleo familiar, perdem o controle...

Já os cálculos na vesícula... um mal que prolifera comprovadamente com mais intensidade do lado feminino da população, está associado, segundo esta visão holística da doença, à raiva. Raiva geralmente no feminino e para com o feminino! . Raiva não exprimida (a raiva parece ser o denominador comum a todos os cálculos, da vesícula ou não; mas há vários tipos de raiva) raiva por ter a percepção de se ser tratada injustamente. Raiva por não poder exprimir essa mesma raiva... raiva que fica dentro de si e como tudo se transforma ela petrifica literalmente (maioria das vezes tem tudo a ver com violencia física que a pessoa foi alvo na primeira infancia por parte da mãe) raiva que muitas vezes é reactivada anos depois por convivencia com as mesmas circunstâncias, pessoas ou quem faça lembra-las... Nessa situação não é raro despoletarem crises físicas agudas.

Todo o livro fornece informações que reforçam a absoluta necessidade de descodificarmos os porquês do que nos acontece seja no plano físico -onde com o tempo se cristalizam e manifestam as emoções reprimidas (ou não assumidas e reprocessadas) seja no plano emocional, mental, espiritual... o fisíco é em última análise o último a pagar a conta... e a pagá-la da forma mais dura a maioria das vezes!

Assumir e libertar parece ser a chave mágica para manter a sanidade em todos os planos quando se trata de algo negativo. E não tenha medo de admitir os seus monstros... eles são tambem uma expressão de si a pedir reconhecimento e muitas das vezes... estão cobertos de razão!

*
As palavras-chave para a asma são medo e falta de aceitação.
O asmático tem também um desejo de dominar, embora, se lhe falarmos nisso, sempre o negue.
O asmático tem a sensação de estar prestes a explodir, só que não consegue exteriorizar gritos e injúrias. Por isso tem tosse e expectoração.
O asmático adulto costuma ser uma pessoa muito cerebral, muito mental. O asmático adulto tem tendência para culpar a sua sexualidade e para puxar o seu impulso sexual para a zona do peito (confunde amor com sexo). Assim, em vez de deixar a estimulação da mucosidade lá em baixo, ao nível dos órgãos sexuais, trá-la literalmente para cima, para a boca. É verdade que esta questão não deixa de fazer sentido, pois há uma semelhança clara entre a boca, que exprime o amor, e os órgãos genitais, que exprimem o sexo.
O asmático é sedento de amor. Deseja amor mais do que tudo. Mas procura-o nos outros

Monday, April 20, 2009

Malalai Joya - a mulher mais corajosa do Afeganistão



(UMA MULHER AFEGÃ LEVANTA-SE CONTRA OS "SENHORES DA GUERRA")

Eu sonho que uma mulher um dia tome as rédeas do Afeganistão. Tenho recebido um mar de insultos: prostituta, louca, infiel, comunista... Um dilúvio de ameaças: estupro, seqüestro, assassinato... Uma bomba explodiu na multidão que me esperava em um encontro. Meus escritórios têm sido espionados, tentaram emboscar minhas equipes.

Eu troco de teto toda noite. E ao dia, não me desloco mais por Kabul, a não ser por um táxi, escondida dentro de uma burqa.

Tenho sobrevivido a quatro tentativas de morte. Minha determinação não vai ceder. Tenho o apoio do povo. Indestrutível e ardente. As balas podem tirar minha vida, mas não aniquilarão minha voz, porque para sempre é a voz do Afeganistão. Eles podem cortar uma flor, mas não podem deter a primavera.

Eu me dirigi, denunciando a presença destes traidores, decididamente anti-feministas, que arruinaram meu país e que mereciam ser levados à Justiça. Houve de repente um alarido horroroso. Eles ficaram todos de pé, ergueram seus punhos, uivando injúrias, exigindo minha expulsão e minhas desculpas. Eu preferiria morrer!

-Eduardo Montesanti criou um blog completissimo sobre Malalaia Joya e o meio em que ela se move:
http://malalaijoya.skyrock.com/

Sonho antes que as mulheres afegãs estabeleçam-se, levantem vôo, exijam todos os seus direitos. De tudo o que atormenta nosso país, elas são as principais vítimas: 87% sofrem violências domésticas; as violações - em grande parte impunes - são inomináveis. 80% das uniões são casamentos forçados, as filhas servem de moeda de troca: elas podem ser cedidas a velhos. ofertadas em reparação por alguma dívida, trocadas às vezes por um cachorro. o suicídio - forca, estrangulamento, imolação - surge a muitas como a única opção para fugir da miséria delas. Se você soubesse o número de mulheres queimadas, desfiguradas, no hospital de Herat!


Malalaia Joya tem tido vários reconhecimentos e apoios internacionais,
aqui recebe o premio
Anna Politkovskaya' 2008* pela rawinwar.org/

*Anna Politkovskaya foi uma jornalista russa franca e ativista, que criticou duramente a guerra do Kremlin contra os rebeldes da Chechênia. Ela foi morta em 7 de Outubro de 2006, em seu apartamento em Moscou, por expor corajosamente violações russas aos direitos humanos no país vizinho, através de horríveis atrocidades contra civis.

#
Deveriam saber que sob a ocupação dos EUA, o Afeganistão tornou-se o produtor número um de ópio do mundo, e uma grande parte dele é contrabandeada aos Estados Unidos (2) (Joya).
Você sabia disso ?
*
O Afeganistão domina o mercado mundial da droga, com 93 % de ópio do mundo, apoiado pela Aliança do Norte dos senhores da guerra (líderes tribais armados). Os quatro maiores atuantes no setor de comércio de heroína são altos funcionários do governo afegão.
Você sabia disso ?
*
Um relatório da organização internacional de mulheres, a Woman Worldwide, declarou que milhões de mulheres e garotas afegãs continuam enfrentando discriminação e violência no dia-a-dia, e que isso aumentou no ano passado. Tanto o Taliban quanto os senhores da guerra Mujahedeen são acusados ainda de estuprar meninas muito novas, algumas de até quatro anos de idade (1). (Joya)
Você sabia disso ?
*
Se não houver Taliban, não haverá tolos norte-americanos ocupando suas terras com grandes armas e células de tortura (...). Os Estados Unidos não estão preocupados com a causa principal por trás do terrorismo no Afeganistão. Daí por que nosso povo não considera os Estados Unidos libertadores do nosso país (...).
Você sabia disso ?
#
Penso que se Espanha e outros governos realmente querem ajudar o povo do Afeganistão e trazer mudanças positivas, eles têm de agir independentemente em vez de se tornar um instrumento para implantar as políticas do governo dos Estados Unidos (...). Eles seguem exatamente os passos do governo dos Estados Unidos, e tornaram-se instrumento nas mãos dos Estados Unidos para implementar seus interesses estratégicos, regionais e econômicos (2). O povo afegão está hoje convencido de que os Estados Unidos estão dispostos a colocar-nos em risco enquanto estiver em jogo seus próprios interesses regionais (4). (Joya).
Você sabia disso ?

Saturday, April 18, 2009

Fala, Arnaldo Jabor !

São palavras do jornalista Arnaldo Jabor...

(ouça o áudio tambem)

Amigos ouvintes, a humanidade está um nó difícil de desatar.

Eu falo da economia? Não. Eu falo das guerras? Não. Eu falo de ecologia. Ah, trata-se do desmatamento da Amazônia? Não. Nem do futuro racionamento de água, também não. Eu leio nos jornais que uma das causas mais perigosas do efeito estufa, do aquecimento global, é a nossa dieta de carne vermelha.
Isso está escrito: temos que comer, no máximo, 400 gramas por semana, de carne. Ou seja, quase nada. Por que? Bem, se essa dieta for adotada no mundo todo, diminuindo o consumo de carne, os especialistas calculam que haveria uma redução de mais de 10% na emissão de gases estufa, o que traria também uma economia de US$20 trilhões nos custos de luta contra as mudanças climáticas.

Em primeiro lugar, porque se diminuirmos a ingestão de carne bovina, ovina ou suína, a criação extensiva de animais diminuiria, porque o consumo também baixaria, assim haveria muito mais terra ocupada por vegetação anti-poluente, que consome o CO2. Além disso, e é aí que mora o nosso absurdo planeta, haveria também uma diminuição na emissão de gás metano, que os animais produzem em seus intestinos e que é espalhado na atmosfera. Os cientistas calculam que tem que cair muito essa emissão de gases para evitar graves alterações climáticas como secas e elevação do nível dos mares. É um beco sem saída. Se comermos muita carne, morrem as florestas e mais: os rebanhos aumentam. E, senhores, com a licença da palavra, os “puns” dos bois e vacas farão uma crescente sinfonia de gases, sufocando o planeta.
Ou seja, depois de milênios de lutas, esforços, guerras, paz, grandes invenções, a arte, a cultura, a ciência, a razão, todos os orgulhos da humanidade, tudo isso poderá ser destruído pelos “puns”, isso, “pum, pum, pum”, para lá, “pum pum”.
Quem diria… Achávamos que acabaríamos em guerra total e ataques de ETs, ou queda de asteróides… Não, seremos destruídos, entre outras besteiras humanas, pelos “punzinhos” e inocentes boizinhos.

Aliás, pensando bem, a humanidade não merece muito mais que isso.

destaque meu...




...para algumas das apesar de tudo bastantes pessoas que conseguem a fusão entre a sua vida pessoal e profissional com a sua vontade de serem extremamente activas na defesa animal.

Futuramente estarao aí de novo na coluna do lado, os links.

Enquanto não, ficam essas imagens com os endereços.

Friday, April 17, 2009

Cheetah Experience

tenho que ser sincera:

não me aborrecia nada fazer o mesmo tipo de percurso da Riana!

:-)

Viver entre felinos foi o sonho que uma cidadã sul-africana, de nome Riana Van Nieuwenhuizen, acalentou ao longo de toda uma vida.Para conseguir começar a realizar o seu sonho teve se reformar, depois de vinte e dois anos a trabalhar como funcionária pública, no Departamento de Justiça.

Ainda antes de se reformar, criou jovens chitas órfãs como voluntária, durante dez longos anos, mas o seu tempo era pouco e tinha de continuar a trabalhar até à reforma. Durante este período, tomou conhecimento do risco que esta espécie corre no continente, aprendeu a cuidar destes animais e a sua vontade de se dedicar a eles a tempo inteiro não parou de crescer.

Assim que se aposentou, adoptou uma jovem chita a quem chamou Fiela, mas era pouco para quem estava disponível e tinha tanto para dar. Aos poucos, começou a acolher outros felinos africanos que necessitavam de protecção e hoje, aos 46 anos, já reúne no seu rancho - e dentro da sua própria casa - nove chitas de várias idades, três leopardos e um leão. Mas não se fica por aqui, ainda aloja dois lobos e alguns cães domésticos.

Para tratar de todos estes animais, Riana teve de criar mecanismos para gerar receitas que lhe permitam alimentar e prestar cuidados de saúde a toda a sua prole. Para tal, criou uma ONG a que chamou Cheetah Experience , como forma de estabelecer parcerias com doadores, também para levar o seu trabalho mais longe e divulgar as dificuldades que a espécie atravessa e ainda para que os cidadãos comuns do seu país possam ter contacto directo com estes animais.

http://cheetahexperience.com/


Wednesday, April 15, 2009

espiritualidade e "cerumano"... no seu pior!


De vez em quando há notícias destas. Desde o início deste ano, o caso abaixo, em relato no DN, é conhecido. Sem conclusões à vista, para variar...

***é nestas alturas que me apetece pegar a minha nave espacial e regressar ao meu planeta... é que este não é o meu lar de certeza.***




Macumbas com sacrifício de animais investigadas

Sintra. A situação é conhecida da associação Animal e do gabinete veterinário municipal: animais são sacrificados em rituais macabros. O caso foi denunciado à PJ, que o remeteu ao MP, que arquivou agora o processo. Uma antropóloga diz que há práticas religiosas que podem ser confundidas com bruxaria
O Ministério Público de Sintra decidiu arquivar um inquérito sobre o sacrifício de animais na serra de Sintra porque não conseguiu identificar os responsáveis, mas admite reabri-lo "se surgirem novos elementos de prova". A denúncia partiu de Jorge Nascimento, um lisboeta que costuma passear aos fins-de-semana junto à lagoa Azul. "Costumo vir com a família e comecei a encontrar animais mortos e moribundos, cães, gatos, cabras e até sapos pregados nas árvores", conta.
"Fiz a denúncia à Polícia Judiciária [PJ] há quase um ano, mas isto está cada vez pior", assegura. Além dos animais, diz que é frequente encontrar muitas velas, comida e garrafas de bebidas alcoólicas. "É desolador e há também o risco de incêndio", avisa.
De acordo com o processo, a que o DN teve agora acesso, a PJ remeteu o caso à Comarca de Sintra por considerar "que a investigação não cabe nas suas competências". A procuradora-adjunta classificou os factos de "crime ambiental" e delegou as diligências na GNR de Sintra. Após cinco meses de investigações, o Serviço de Protecção da Natureza (SEPNA) devolveu os autos de inquérito sem ter conseguido apurar responsabilidades. No final de Setembro, a procuradora Susana Nunes arquivou o processo e enviou cópia da denúncia à Câmara de Sintra, "para os fins tidos por convenientes", sem informar que o processo fora arquivado.
A notícia do arquivamento apanhou de surpresa o Gabinete Médico-Veterinário Municipal, que continua a acompanhar o assunto com preocupação. "Quase todos os sábados vamos buscar sacos de animais mortos à lagoa Azul", revela Alexandra Pereira. As autoridades sabem que os animais são mortos sobretudo em cultos religiosos e acreditam que tenham origem ilegal.
Entre os vestígios recolhidos já apareceram corações. "Um deles teve de ir para análise porque parecia de humano, mas apurou-se que era de porco", conta a veterinária, para quem está em causa não só o bem-estar animal mas também a saúde pública. Além disso, diz,
a liberdade religiosa não pode servir de desculpa, porque a lei proíbe "todas as violências contra animais de companhia, nomeadamente todos os actos que, sem necessidade, inflijam a morte, o sofrimento ou lesões" e a violação desta disposição é considerada "uma contra-ordenação punível com uma coima entre 500 e 3740 euros".
Para Jorge Nascimento, "a lagoa Azul é a capital da bruxaria e chegam a vir pessoas do estrangeiro para fazer 'tratamentos'". Numa das macumbas detectadas pelo DN já em Novembro, era visível uma cabeça de cabra e pedaços de um galo envoltos em farinhas e frutas. Ali perto, o chão estava coberto de velas junto a panos pretos e vermelhos, garrafas de cachaça e whisky, roupa e charutos.
Estes casos são conhecidos pela associação Animal, que admite existir "uma actividade frequente de cultos diversos que incluem o abate ritual de animais em Sintra, na Arrábida e noutras zonas". Mas segundo Miguel Moutinho, "as denúncias reportam-se sempre aos vestígios mas nunca permitem identificar os autores".

***

CONHEÇA:

http://www.manifestoanimal.org/index.php?option=com_content&task=view&id=17&Itemid=31

o triunfo do espírito - "eu sonhei um sonho"



O visual físico da senhora não correspondia ao que a miopia emocional humana convencionou como nota 10.
Os restantes aspectos tambem não encaixam com as exigências de sucesso: com 47 anos, desempregada, sem namorado e a viver com um gato, o ar irónico do público e do júri do programa era indisfarçável...
Mas foi ele o primeiro a render-se e a mostrar-se maravilhado, ovacionando de pé o muito recebido de quem tão pouco parecia prometer!
Aconteceu este sábado, em Inglaterra e provavelmente terá consequências positivas para a vida de Susan Boyle e seu respeitável gato de dez anos Pebbles.

Não é possivel trazer o vídeo, mas podem assistir aqui à interpretação: Susan Boyle com sua poderosa e magnífica voz cantando I dreamed a dream, de Os Miseráveis .

Neste final de semana a surpresa provocada por Susan Boyle virou assunto fortemente mediático

Thursday, April 09, 2009

leituras destes dias...

Romances sobre familias desfuncionais raramente é o meu género preferido...
Cenários, só se forem muito interessantes para me cativar!
Mas desta vez adoptei 2 livrinhos para leitura imediata -leia-se dias de páscoa, que têm o seu quê de incomum não falando do ritmo literário em ambos que gostei após uma olhadela rápida.

Enquanto as Velas Ardem de Tabitha King e Michael McDowell é um livro começado por Michael McDowell que faleceu em 1999 e o deixou inacabado. Foi concluído por Tabitha King. É portanto um livro a dois fôlegos. Está classificado como romance gótico
(ler 1º cap)



O Castelo de Vidro é uma obra autobiográfica da jornalista Jeannette Walls :

Eles não tinham condições de comprar presentes caros e não queriam que nós pensássemos que não éramos tão bons como todas as outras crianças que, na manhã de Natal, encontravam todo tipo de brinquedos bacanas debaixo da árvore, que eram, supostamente, deixados lá pelo Pai Natal. Então, eles nos contaram que as outras crianças eram enganadas pelos pais, que os brinquedos que os adultos diziam serem feitos por duendes que usavam chapeuzinhos com guizos em um ateliê no pólo Norte tinham, na verdade, etiquetas onde estava escrito “Made in Japan”.
— Tentem não desprezar essas outras crianças — dizia a mamã.

— Não é culpa delas se elas sofreram uma lavagem cerebral pra acreditar nesses mitos bobos.
Comemorávamos o Natal, mas, geralmente, uma semana depois de 25 de dezembro, quando se encontravam laços de fita e papel de embrulho em perfeito estado que as pessoas tinham jogado fora, e árvores de Natal largadas ao longo dos acostamentos das estradas que ainda tinham a maior parte das folhas e, algumas, até enfeites prateados agarrados aos galhos.

[...]
chegou o Natal, nós não tínhamos nem um centavo. Na véspera de Natal, o papá nos levou para passear de noite no deserto, um de cada vez. Eu estava enrolada em um cobertor e, na minha vez, eu quis dividi-lo com o papai, mas ele disse “não, obrigado”. O frio nunca o incomodava. Eu tinha feito cinco anos, e sentei do lado dele, e nós olhamos para cima, para o céu. O papá adorava falar sobre as estrelas. Ele explicava como elas orbitavam pelo céu noturno enquanto a Terra girava. Ele nos ensinou como identificar as constelações e navegar pela estrela Polar. Aquelas estrelas brilhantes, ele insistia sempre, eram uma das melhores coisas que existiam para gente como nós, que vivia na natureza. A gente rica da cidade, dizia, moravam em apartamentos chiques, mas o ar deles era tão poluído que eles nem conseguiam ver as estrelas. A gente teria que estar completamente maluco para querer trocar de lugar com eles.
— Escolhe a tua estrela favorita — disse ele naquela noite. Ele disse que eu podia ficar com ela para mim. Ele disse que era o meu presente de Natal.
— Você não pode me dar uma estrela! — falei. — Ninguém é dono de uma estrela.
— É isso aí — disse ele. — Nenhuma outra pessoa tem uma estrela. Basta você declarar que tem antes dos outros, que nem aquele carcamano do Cristóvão Colombo, que declarou que a América era da rainha Isabel. Declarar que uma estrela é tua tem a mesma lógica.
Pensei bem e cheguei à conclusão de que o papá estava certo.
Ele sempre descobria umas coisas assim.

[...]
— Ora bolas — disse papai. — É Natal. Podes ter o planeta que quiseres.

E ele me deu Vênus.

Naquela noite, durante o jantar, conversamos sobre o espaço sideral. O papá explicou o que eram anos-luz, buracos negros e quasares, e falou das qualidades especiais de Betelgeuse, Rigel e Vênus.
[...]

— Afunda ou nada! — gritou.

Pela segunda vez, eu afundei. A água mais uma vez invadiu meu nariz e meus pulmões. Esperneei e me debati até conseguir subir à superfície, buscando ar, e tentei alcançar o papá. Mas ele se afastou, e eu só senti as suas mãos me sustentando depois da segunda vez que afundei.

Ele repetiu os mesmos gestos de novo, e mais uma vez, até eu compreender que ele só me salvava para me jogar dentro d’água novamente. Por isso, em vez de tentar alcançar as mãos do papá, eu comecei a tentar me afastar delas. Eu o chutava e me afastava dentro d’água usando os braços e, finalmente, consegui me impulsionar para além do seu alcance.
— Você conseguiu, filhota! Você tá nadando! — gritou ele.
Arrastei-me para fora d’água e sentei sobre umas pedras calcificadas, com o peito arfando.
O Papá também saiu da água e tentou me dar um abraço, mas eu não quis nada com ele, nem com a mamã, que tinha ficado boiando o tempo todo, como se nada estivesse acontecendo, nem com o Brian ou com a Lori, que vieram até mim para me dar os parabéns. O papá ficava dizendo que me amava, que nunca me teria deixado na mão, mas que eu não podia passar a vida inteira agarrada à borda, que uma lição que todo pai tem que dar ao filho é que “se você não quer afundar, é melhor tentar descobrir uma maneira de nadar”.
(Jeannette Walls no youtube)
(ler 1º cap.)

Wednesday, April 08, 2009

Vampiros e signos fixos

Vampiros sim, mas sem alho nem estacas e música de filme de terror... Falamos de vampiros energéticos que já toda a gente mais ou menos ouviu falar e muitos mais ainda tiveram o (des)prazer de conviver com maior ou menor consciência do facto.

Aqui, eles vêm à ribalta via astrologia através de uma excelente palestra promovida -e transcrita pela Constelar, numa visão partilhada por um astrólogo (Alexey) e uma médica homeopata (Roseane).



São quatro verbos que, segundo a tradição, operam milagres quando compreendidos.
Seriam elas: Saber – Querer – Ousar – Calar
Podemos associar o SABER ao signo de Aquário, concentração do elemento Ar. O QUERER, a Vontade, pode ser associada a Leão, concentração do elemento Fogo. O OUSAR nos reporta a Escorpião e sua imagem de garra pronta para o ataque, concentração do elemento Água. E o CALAR, enfim, nos transporta para a figura do Touro, concentração do elemento Terra.
A distorção destes quatro princípios na vida prática nos conduziriam ao chamado processo de vampirismo
.

O Agressor
Correspondente ao princípio distorcido de Leão, o agressor se faz valer da violência e da intimidação para manipular, controlar, esvaziar as energias alheias.

[...]
A Vítima
Associado ao simbolismo distorcido de Escorpião, a vítima vive em busca de situações que confirmem que ela é uma pobre miserável.

[...]
O Indiferente Mudo
Obviamente associado ao princípio distorcido de Touro, o indiferente mudo escangalha a energia alheia e chupa-a toda através do silêncio mortal, estilo "o que você tem meu bem?"

[...]
O Falador
Associado ao princípio distorcido de Aquário, o falador fala até matar.

[...]
Vou citar como exemplo uma pessoa de meu círculo íntimo que tem ascendente em Libra. Ela sempre se faz de vítima com dinheiro (Escorpião na casa 2) quando quer perturbar alguém por esta via. Já com os amigos ela é agressiva quando se sente perturbada (Leão na casa 11), e com os filhos e parceiros românticos ela desempenha o irritante personagem de psicóloga junguiana (Aquário na Casa 5), cheia de respostas para o problema alheio. Para completar o quadro, seu último parceiro comentou, num momento de briga: "Por que quando você quer me agredir fica muda quando fazemos sexo??? Quando a gente termina, eu pergunto: ‘Gostou?’ E a resposta é um olhar morto, e um ‘sim’ chocho!". Touro na veia da casa 8.
*
No caso do vampirismo, que seria um desequilíbrio psíquico-emocional no dia a dia de nossos relacionamentos – mãe e filho, amigos, marido e mulher etc. – esta freqüência vibratória do campo energético sutil tenderia a baixar. Por exemplo, de 300Hz para 150Hz no caso de um controlador ciumento e sua vítima, ambos se alimentando da energia um do outro – provocando uma série de disfunções orgânicas tanto em um, como no outro, onde o sintoma-chave deste vampirismo seria: infelicidade e insatisfação íntima. A foto kirlian confirmaria essa transfusão patológica de energia e, como sugestão eficaz de tratamento, a eletroacupuntura restabeleceria o equilíbrio energético yin-yang tanto para o vampirizado como para o vampiro, e a homeopatia elevaria a freqüência vibratória dos indivíduos, fazendo com que eles deixassem de se sentir afetados um pelo outro. O controlador ciumento se sentiria talvez mais feliz e consciente de seus padrões desequilibrados com uma boa dose de Lachesis, enquanto a vítima reavaliaria seu papel de vítima na vida, deixando de atrair controladores, tratando-se com Pulsatilla ou Silicea.

(ler o artigo)

14º de Aquário, os avisos símbólicos

Um artigo óptimo de Hanna Opitz, na constelar :
A próxima vítima

Um primor de arrogância: a capa do relatório anual 2007 do banco Lehman Brothers destaca o nome da instituição sobre um fundo com as bandeiras dos principais países onde mantinha investimentos. Até poucos anos, nomes como Lehman Brothers, Merril Lynch, Arthur Andersen, AIG, Wachovia e Citibank eram sinômino de solidez e oportunidades de crescimento. Uma a uma, essas multinacionais vêm sendo fulminadas pela crise. Algumas desapareceram, outras arrastam-se em situação próxima da insolvência. Quem será a próxima vítima?
[...]
Você quer saber qual é a previsão de duração da crise? Olhe para o céu, ele sempre tem a resposta. Caso a sua resposta seja: ah, mas eu não estudei astrologia, ainda sou leigo no assunto - olhe para esta foto; ela foi a mensagem que o cosmo enviou a nós, humanos, para que pudéssemos saber o que está por vir.
[...]
O fotógrafo foi extremamente feliz em conseguir captar este momento.E o que simboliza? Que um (e mais) raio(s) estava(m) para cair nos Estados Unidos (e em todo o planeta). E como podemos saber isso? O cosmo sempre nos envia uma imagem simbólica do que está por vir algum tempo antes de um grande acontecimento “ancorar” na terra... O que acontece no microcosmo, também acontecerá no macrocosmo.
[...]
14º de Aquário, que, de acordo com Charubel (astrólogo do século XIX, que recebeu mediunicamente o significado de cada grau do Zodíaco), significa: "a pessoa deverá prestar atenção para aquelas impressões que o mundo acha tolas, mas através das quais o divino fala às pessoas".

Mandamentos do século XXI

Tsk, esta é a visão sarcástica do sec. XXI...

(aparece-me cada coisika no mail!...) :P

Tuesday, April 07, 2009

Kandahar - ser mulher e ir à escola, passaporte para a violencia?



Ignorância e violência sempre foram armas favoritas para manter as pessoas sobre controle...

Neste caso elas são usadas contra as mulheres no Afeganistão:

KANDAHAR, Afeganistão - Em uma manhã comum dois meses atrás, Shamsia Husseini e sua irmã caminhavam pelas ruas lamacentas a caminho da escola de meninas local quando um homem parou uma motocicleta ao seu lado e fez uma pergunta aparentemente comum. "Vocês estão indo para a escola?"
Ao ouvir a resposta, o homem arrancou a burca de Shamsia e jogou ácido em seu rosto. Cicatrizes, irregulares e sem cor, se espalham pelos olhos e grande parte de sua bochecha esquerda. Além disso, sua visão fica turva, dificultando a leitura.


Mas se o ataque com ácido contra Shamsia e outras 14 (estudantes e professoras) buscava assustar as meninas para que ficassem em casa, parece que falhou.
Hoje, quase todas as feridas estão de volta à escola Mirwais, inclusive Shamsia, cujo rosto foi tão gravemente queimado que ela teve que ir a outro país para receber tratamento. Talvez o mais marcante, quase todas as estudantes nesta comunidade amplamente conservadora também voltaram (cerca de 1.300 no total).

[...]
A construção de novas escolas e a garantia de que as crianças (especialmente as meninas) as frequentassem tem sido um dos principais objetivos do governo e das nações que têm contribuído com a reconstrução do país. Algumas das alunas da escola Mirwais estão no final da adolescência e começo dos 20 anos, mas frequentam a escola pela primeira vez. Mas ao mesmo tempo, a guerrilha de resistência que montada pelo Taleban na região sul e leste do Afeganistão tem as instituições de ensino como seu alvo principal.

ler notícia completa

Friday, April 03, 2009

florais para animais



Ajudar-nos-á efetivamente reservar poucos momentos diários para pensar serenamente na beleza da paz e nos benefícios da calma, e compreender que não é por meio da preocupação ou de ansiedade que poderemos realizar mais ; mas sim que nos tornamos mais eficientes em tudo o que empreendermos, com pensamentos e ações calmos e serenos.

(Edward Bach)

Assim começa um interessante artigo -com muita indicação práctica; da terapeuta Martha Follain sobre Florais de Bach para animais (gatos)

Thursday, April 02, 2009

A Life Connected

52 BILHÕES DE ANIMAIS
SÃO MORTOS ANUALMENTE
PELA INDÚSTRIA DA CARNE
VOCÊ QUER FAZER ALGO PELOS ANIMAIS?

Então comece por não usá-los na sua alimentação,
no seu vestuário e nos produtos que você consome...


*
"Os animais não existem em função do homem, eles possuem uma existência e um valor próprios.
Uma moral que não incorpore esta verdade é vazia.
Um sistema jurídico que a exclua é cego
."
Tom Regan - Filósofo norte-americano, autor do livro "Jaulas Vazias"
*
UMA VIDA INTERLIGADA
(A Life Connected)
Veja versão em baixa resolução no Youtube:
Parte 1
*
e mais, no... gatoverde
*