Friday, December 30, 2005

Imaginação



Queres terminar/começar o ano a ver coisas criativas e leves em desenho animado?

vai até ao laboratoriodedesenhos ver as animações que há por lá...
*

Omraam Mikhaël Aïvanhov



Melhor que se deixar enfraquecer e abater, os homens devem aprender a trabalhar com todos os seus defeitos e as suas fraquezas para torná-los úteis. Alguns dirão: "Mas os defeitos devem ser combatidos, destruídos!". Experimentem, e verão se é fácil. Vocês é que serão destruídos, massacrados.

Para triunfar sobre seus defeitos, é preciso encontrar um outro método melhor que a luta e a discussão. Quer se trate da gula, da sensualidade, da ganância ou da vaidade, vocês devem aprender a colocá-las em movimento para que os estimulem a avançar na direção espiritual que escolheram para seguir.

Todas as tendências inferiores que considerem como fraqueza, na verdade, são forças. Prestem atenção em todas as energias que elas representam. Se forem trabalhar sozinhos, não irão longe. se expulsarem todos os seus inimigos, se suprimirem tudo aquilo que lhes resiste, quem trabalhará para vocês? Quem os servirá?

Omraam Mikhaël Aïvanhov

texto que veio daí
*

Thursday, December 29, 2005

Dakar



Se estiver por Lisboa nesse dia, ainda não tenho a certeza se estarei, acho que vou até lá, para os ver partir (já que não dá para acompanhar) *suspiro*

Sei que partem no último dia do ano do Centro Cultural de Belém e ouvi que passam na praça do Comércio...
*

C.R.M.I. II




Neste final de ano você tambem pode participar dessa iniciativa da Amnistia Internacional:

Te animamos a mandar un mensaje de apoyo a tres presos de conciencia de los que el mundo parece haberse olvidado. Estos mensajes les llevan aliento, solidaridad y optimismo

Y también, y esto es muy importante, alertan a las autoridades sobre el hecho de que estas personas estén siendo apoyadas por mucha gente de todo el mundo.

*

C.R.M.I. (coisas realmente muito importantes)



Ela diz coisas realmente muito importantes sobre o assunto.

Tem um site inteiramente dedicado a essa temática

E porque são coisas que nunca devem ser esquecidas, para aqui as trago também neste final/principio de ano

Não queremos uma Eva submissa nem uma Megera ou uma "mulher masculina" que reivindica apenas direitos iguais aos dos homens! Nem a mulher esteriotipada que enche o ecran da televisão e dos filmes, onde normalmente só é considerada apenas em função do seu atributo sexual...sempre dividida entre a boa e a má e a lutar contra as outras mulheres...Gostaria que deixássemos de ser apenas essa caricatura de mulher fragmentada para sermos a expressão maior do nosso ser-inteiro e do nosso coração-inteligente.

Queremos uma Mulher inteira que se assuma na sua face Lunar de deusa tríplice. Uma mulher que se assuma com as faces da lua e nas suas idades sem complexos nem medos…Nomeadamente na fase mais importante para todas as mulheres que é a partir da meia idade, ao poderem descobrir dentro de si próprias o enorme potencial de liberdade e amor que têm e desejaria que ao desvelar-se essa face-sombra que tanto as assusta, as mulheres se juntassem para partilhar dos seus sonhos próprios e visões, em vez de se antagonizarem umas com as outras por causa dos filhos e amantes...como foram induzidas a fazê-lo e para isso foram divididas em duas ( a santa e a megera...) há séculos nas sociedades patriarcais.

Deste modo, considero que criar e frequentar espaços só para mulheres que permutem a sua energia e conhecimento intuitivo, usando “a voz do útero”, poderiam ajudar-se umas às outras e consciencializar-se das suas muitas capacidades desprezadas pela sociedade de dominação masculina que as apelidaram de histéricas e as consideram velhas depois dos 40 anos e assim obter um efeito não só terapêutico como libertador nas suas vidas; mulheres de almas e corpos “amputados” pela exigência dos conceitos vigentes e das estéticas ao serviço do imaginário masculino e de que são na sua grande maioria escravas. Falo das mulheres em geral independentemente da sua orientação sexual. Gostaria de ver as mulheres unidas e identificadas muito para além das suas pulsões sexuais! Ir para além das “Faces de Eva” ou das “lésbicas” que tão mal invocam a sua suposta Musa, a excelsa poetisa Safo, para dar lugar apenas às expressões mais comuns da mulher e que deixam uma imagem parcial da própria mulher ao seguir estereotipes masculinos, como todas as mulheres o fazem, seja obedecendo-lhes, seja imitando-os....

Se a mulher encontrar o seu arquétipo Artémis e integrar a Deusa que há em si, poderá assim ajudar a salvar a Terra Mãe equilibrando-a ao exigir a expressão do seu ser integral e dos valores femininos, seja em casa, no trabalho ou na sociedade!
R.L.P.
*

Encontros reais


Foto...

Gostei muito de os conhecer pessoalmente...

E que embora conhecidos já de muitos e muitos meses, um encontro real ainda tinha acontecido

A Giorgia e o Miguel são como eu esperava que fossem e ainda um pouco mais, tudo para o lado bom da vida.

Tambem houve oportunidade de conhecer a Ananda outra menina fofucha que se tornou (mais) real
*

Tuesday, December 27, 2005

Astrológicamente falando...



...se 2005 foi regido pela Lua, 2006 vai ter um ar da graça de Saturno.

Conhecido por ser um professor exigente, Saturno vai provávelmente testar-nos nas áreas de vida menos estruturadas... mas também é certo que pode ser uma optima oportunidade de reorganizar essas mesmas áreas.

Algumas palavras sobre esse clima para os próximos 365 dias aqui

E depois, em 2007, teremos o generoso clima de Júpiter aguardando-nos!
*

Motala


Daqui

Tem dado na RTP2 um programa sobre Motala, a elefante atingida por uma mina que lhe destruiu parcialmente uma das patas.

A luta para a salvar e recuperar para uma vida normal graças a uma prótese, foi grande e teve o empenho de muita gente.

Tocou-me a tristeza e depressão que atingiu o animal durante o sofrimento que teve no período pós-ferimento, bem como a sensibilidade que todos os que lutavam para ajuda-la a viver, mostraram.

Vale lembrar que os elefantes são animais de enorme sensibilidade e sentido de justiça, capazes de mostrar visivelmente emoções muito subtis; têm uma memória incrível que os faz retornar ano após ano aos cemitérios de ossos de outros elefantes já desaparecidos para desenvolverem uma espécie de ritual à volta dos despojos.
*

Recados de um Mestre Interno


imagem daqui

Um dos objectivos da vida
é passar informação
Exprimir-individualmente-o-Mundo

Pela palavra, pela criatividade,
Por qualquer forma de auto-expressão
*
Cada ser humano
é uma resposta única,
Irrepetível,
Totalmente individual.
Nao existe modelo.
Cada um tem de Ser-Si-Mesmo,
descobrir a sua criatividade.
O que lhe cabe só a ele
poder -Ser
*
O Destino
é o encontro de uma pessoa consigo própria
*
Vencer um medo
É desactivar uma bomba interior,
Gérmen de violência contida.
É libertar uma tensão
Que origina força compulsiva.
[...]
*
Apagar fogos-de-violência,
Activar fogos-de-consciência
*
A Solidão é uma amnésia Cósmica
*
O sofrimento que não expande a consciência
e não amplia
a capacidade de amar,
é o Inferno.

Inferno, é toda a experiência dolorosa,
a que não sabemos dar significado.
*

Flavia de Monsaraz no livro Recados de um Mestre Interno
*

Saturday, December 17, 2005

Espírito versus Liberdade



'Porque é que a história do mundo não é nada mais do que o progresso da consciência da liberdade?'

Conceito de Hegel para o qual a História nada mais era do que o progresso da consciência da liberdade enquanto manifestação do desenvolvimento do Espírito
*

Lembro-me de um chá...


Palavras de Agostinho da Silva

Lembro-me de um chá que me deu um monge zen com bolinhos de feijão, para depois me mostrar um jardim zen. Eu nunca vi uma alegria mais espantosa do que a daquele homem! Ele não ria, ele não pulava, ele não nada, nem gesticulava. Era! Mas era a pura alegria, a plena alegria que jamais vi na vida.

Tenho visto muita gente contente, raramente tenho visto gente alegre [...]
*

Livros e especiarias!



Nem sei se alguma vez falei dele, mas quando o li gostei de mais, achei especial.

A autora é Chitra Divakaruni de que estou a ler agora Sister of My Heart
*

Cinema e chocolate...



Chocolate é um filme que gostei de rever, inesperadamente...

Não é muito fácil eu ver pela segunda vez um filme, ainda que goste muito e nem sequer foi o caso: gostei sim, bastante, mas não o tenho na galeria dos especialíssimos.

Mas é suficientemente sensível e talvez por falar de modo leve e gentil de coisas importantes, fez-me gostar de revê-lo

No link com o nome do filme tem muitos traillers de vários filmes
*

How do you express yourself?



you express yourself in every single one of those moods you have. Sometimes you may be sad or happy and you always let it shine through, no matter what others would think of you.

Pois foi esta a resposta do teste às minhas escolhas...
-encontrei nessa menina

Faz tu também! :-)
*

Thursday, December 15, 2005

Monday, December 12, 2005

Choose Compassion As Your Fashion


Aqui

Para participar contra o uso de peles naturais

Porque ainda há quem as ache chiques e as ofereça...

Visite o site que cria mais esta campanha
*

Alquimia Interior



Tive tempo este fim de semana para ler um livro...

Alquimia Interior de Zulma Reyo, que eu não conhecia mas gostei o bastante para me interessar por outros livros dela (nesse link tem outros autores igualmente interessantes)
*

Tuesday, December 06, 2005

Budismo em Crescimento



Reportagem nas paginas da National Geographic de Dezembro, com várias secções para visitar...

Já agora dê uma olhada a outros temas diferentes que por lá andam:

Desde Ajuda Humanitária a Monstros Marinhos passando pelo Telescópio Spitzer
*

Monday, December 05, 2005

Consciência negra



Dia da Consciência Negra, celebrado a 20 de Novembro e muito bem lembrado pelo blog sindromedeestocolmo, com óptimos links informativos, é tambem aqui trazido através deste artigo com factos e números relativos a uma questão que não deve passar ao lado de ninguém
*

Friday, December 02, 2005

Alguem disse

*
'ver o mundo num grão de areia
e o ceu numa flor silvestre
conter o infinito na palma da sua mão
e a eternidade numa hora'
*
** *
* * *
* **
'EU SOU UM OUTRO VOCÊ
*
*

Stayingalive

Dia 1 de Dezembro foi dia de pensar e fazer pensar no que significa a sida hoje, em várias partes do mundo.
O Brasil, por exemplo foi referido por estar à frente em cuidados contra a proliferação da doença e cuidados prestados após a contaminação, embora continue com uma alta taxa de transmissão do vírus.
Em muitas zonas de Africa, onde os mil e trezentos euros anuais que custam a manutenção da medicação para manter uma pessoa infectada relativamente livre de ver o estado de saúde agravar-se, são impracticáveis de tornar realidade sem uma ajuda externa que por tardar, cobra vidas em cada dia que passa.
Tambem na India, a situação é catastrófica
Nem tudo são histórias de terror: na Tailândia, apesar do comércio sexual, a propagação do vírus é baixa, assim como no Uganda que mantem surpreendentes baixas taxas de contaminação da doença em ambos casos devido a campanhas de informação e ao contínuo trabalho de activistas
Aqui, números e outras realidades sobre a doença
*
*

Visão positiva



Há uma frase muito interessante de que tomei conhecimento recentemente.

Quem não lembra aquele habitual pensamento 'a vitória só pertence aos mais capazes'?

Pois esta frase pareceu-me o antídoto certo:

'Entrega-te e o universo te capacitará'

Fiquei até a achar que é a mais moderna e auto-responsabilizante interpretação daquela outra 'Quando existe um sonho, todo o universo conspira para a sua realização'...
*

Ver, de muitas maneiras



*******************cinzenta? ***********velha?
*******************luminosa? **********sábia?

Não pude deixar de reparar na original campanha de marketing a produtos cosméticos que relaciona figuras humanas femininas a diversas interpretações desde a mais banal e obvia ao mais comum dos mortais, até outras mais subtis...
*

Saturday, November 26, 2005

O Óptimo…



Encontrei no fim-de-semana passado, na revista Grande Reportagem do ‘DN’, um artigo do Pedro Mexia com o título O Inimigo do Bom que me fez sentir identificada nalguns pontos e sorrir umas quantas vezes.

Diz ele

[…] Não gosto do bom: gosto do óptimo.Acontece que o óptimo raramente acontece […] Nunca nada é como eu gostava que fosse. Nunca nada chega. Nunca nada é suficiente. O que me rodeia está muito abaixo das minhas expectativas. E eu mesmo, justos céus, eu mesmo estou tão abaixo das expectativas que nem devia ser admitido a concurso.
[…]
O óptimo tem ocorrências registadas. Há prova documental. São conhecidos casos. Mas isso é uma excepção. Daí que sofram um bom bocado aqueles que (como eu) querem que o nível de exigência seja altíssimo em tudo. Aqueles que gostavam que todos os candidatos fossem o Churchill, todos os poetas o Höderlin, todos os párocos o Santo Agostinho, todos os professores o Barthes e todas as namoradas a Emmanuelle Béart.
[…]
Sou um grande chato com o meu individualismo maniacamente crítico. Antigamente fazia como o Groucho Marx: não me inscrevia em nenhum clube que me quisesse como membro. Agora estou noutra fase: já nenhum clube me quer como membro. As gentes exigem gente que assine por baixo e não dê chatices. Gente que se submeta ao colectivo. E eu abomino o colectivo, em todas as suas encarnações.
[…]
As minhas preferências muito marcadas e as minhas exigências muito altas são mais um mecanismo que me empurra para o penhasco da misantropia. Mesmo se reconheço nisso um paradoxo. Sendo eu um convicto pessimista, actuo como um optimista, daquele que julgam que o óptimo é uma situação sustentável. Quando o senso comum nos previne que o óptimo é esporádico. E que nos devemos contentar com o razoável. Eu acho que o senso comum tem bom senso. De facto o óptimo é inimigo do bom. E depois? Eu também sou inimigo do bom.

Devo admitir que fiquei impressionada e deliciada: quando menos esperamos arriscamo-nos a encontrar alguém que sente coisas que também sentimos e para cúmulo da mesma maneira que as sentimos!Afinal muitas esquisitices que pensamos ser só nossas são património colectivo, talvez pouco falado, ainda menos escrito, mas colectivo.Se há coisa que sempre me fascinou foi encontrar pontes unindo o individual ao colectivo, talvez porque, tenho a convicção, são duas facetas indispensáveis de serem assumidas harmoniosamente.
*

Choque



Chocantes notícias que já encontrei em vários lugare: casos de brutal violação dos mais elementares direitos humanos, a merecer todo o destaque e denúncia que se possa dar, todo o repúdio internacional activo e urgente.

Na demanda de mais factos e confirmações, encontrei esta notícia cuja foto já conhecia por circular à alguns anos na net, mas que nem por isso perdeu a actualidade.

Em Dia Internacional de Eliminaçao da Violência contra a Mulher, fica esta estarrecedora lista de atentados aos direitos humanos em geral e aos direitos das mulheres em particular.

Porque urge combater a falta de consciência, de conhecimento, de leis, que permite que em tantas partes do mundo grasse a violência, a tirania, e a opressão contra a vida.
*

Angelina Jolie EB da Onu


Angelina Jolie com os filhos Maddox e Zahara


Como Embaixadora de Boa Vontade da Onu, Angelina Jolie tem feito um trabalho extremamente activo em prol de populações desfavorecidas.

A intrépida menina de Tomb Raider e controversa personalidade pública, colocou a sua visibilidade internacional em prol de acções humanitárias.

Ao que parece, Angelina apaixonou-se desde que o descobriu, por um estilo de vida aventureiro e humanitário.
Longe do charme dos círculos de cinema, é ela quem muitas vezes pilota seu próprio avião a lugares tão remotos como o Quénia ou o Líbano, e participa em acções para melhorar as condições de vida das populações locais.

Tem 2 filhos adoptados, originários do Vietname e Quénia, órfãos de guerra, e junto com Brad Pit, o actual companheiro, esteve no Pakistão recentemente em acçao humanitária.
*

Wednesday, November 23, 2005

Natal, já?!


imagem vinda daqui

Desde uns poucos anos para cá encontro o natal ‘comercial’ mais cedo… as lojas de decoração e grandes superfícies forçam a lembrança da quadra ainda distante quase 2 meses através do clima inconfundível dos presentes e afins da quadra.

Tenho a vaga ideia que ainda a uma meia dúzia de anos o natal comercial só começava no início de Dezembro!

Enfim...

Espectacular, está agora instalada na Praça do Comércio essa arvore gigante - 72 metros de altura.
*

2 livros


Xinran – uma jornalista chinesa, escreve as mudanças ocorridas na condição feminina na China dos últimos anos. Foi das primeiras jornalistas a ousar trazer a publico a intimidade silenciada de muitas vivências no feminino silenciadas por séculos através de um programa de rádio ‘palavras na brisa nocturna
O livro conta diversas historias nascidas na interacção entre ela e as mulheres que se manifestaram ao longo dos 8 anos do programa.

*
'A Historia de Zoya'

Jonh Follain, e Rita Cristofari são um casal de jornalistas que entrevistaram Zoya, uma mulher afegã militante da RAWA, uma associação revolucionária que luta contra a opressão. Todo o livro é um relato violento do modo de vida da população do Afeganistão com particular realce para as mulheres, acompanhando a resistência e luta de Zoya.
Deixo algumas linhas

Um dos taliban - que parecia um pouco mais velho que um adolescente – saltou do jipe, dirigiu-se a ela com o seu chicote e agrediu-a no braço. A mulher, que não tinha visto a patrulha, infringira a lei por as mulheres não poderem ter qualquer contacto com comerciantes e serem obrigadas a levarem consigo um mahram para lhes comprar as coisas.
Longe de se agachar, a mulher virou-se para o taliban furiosamente, gritando-lhe: - eu tenho idade suficiente para ser tua mãe e tu chicoteias-me? Não tens vergonha?
Estava tão irritada que se atreveu mesmo a tirar a burqa e atira-la aos pés do taliban: - ouve, porque é que não vestes isso tu próprio? – troçou ela
Ela era alta e forte. Penso que andaria na casa dos quarenta. O seu agressor sentiu-se tão surpreendido que não soube o que responder. Ninguém o treinara para este tipo de resistência. Tudo o que lhe tinham ensinado era como chicotear as mulheres. Foi-se embora disfarçadamente. Após a sua vitória a mulher recuperou a sua burqa, vestiu-a de novo e continuou as suas compras.
*

Friday, November 18, 2005

Historia de Nunki


Nunki

Para ler, saber... quem sabe ajudar!
ou ganhar um amigo verdadeiro

O desenvolvimento da historia, fotos e ainda um vídeo, tudo na rubrica animais que falam, bem como outros casos.

No refugiodaspatinhas.org*
*

Tuesday, November 15, 2005

Zimba



Adorei encontrar este relato na Cora, dia 13, onde se pode ler mais sobre este assunto e tantos outros interesantes.

Passo a história cuja protagonista é uma cadela Pastora Alemã chamada Zimba.

Nos animais tambem encontramos seres particularmente benévolos e vocacionados para salvar!

Enquanto a manicure Loreni me faz as unhas, conta-me uma história comovente. Ela mora em Viamão e tem uma cadela pastor alemão.Um belo dia do mês passado, caiu de uma árvore um papagaio quase adulto, no canto do pátio. A cadela pastor alemão, de nome Zimba, que percebe tudo que acontece no pátio, viu o papagaio tombar da árvore e cair na grama do chão. A cadela avançou sobre o papagaio e o abocanhou, parecendo tê-lo engolido. Todas as pessoas que estavam no pátio espantaram-se com a aparente fúria gastronômica da cadela, mas seguiram com os olhos o animal, que se dirigiu à sua casinha. Lá, a cadela abriu a boca e saltou de dentro dela, vivo, íntegro e sadio, o papagaio, que assim foi depositado pela cadela na sua casinha. As pessoas correram para lá e puderam notar que o papagaio tinha sobre suas penugens a baba da cadela.
* * *
Durante 15 dias o papagaio viveu sob a guarda da cadela, dormindo com ela dentro da casinha, na maior parte do dia passeando no pátio. Até que o segundo fato impactante veio a ter o pátio como cenário. Alguém jogou da rua uma trouxa em que estavam enrolados oito gatinhos recém-nascidos. Não há animal que seja mais rejeitado pelos seus donos quando nasce do que o gato. Mais uma vez alguém quis se desfazer de uma ninhada de gatos e atirou-os vivos, enrolados em um pano no quintal da cadela Zimba e do papagaio.
* * *
Para pasmo dos residentes humanos da casa, a cadela se arremessou sobre a ninhada de gatos e segurou com as presas um dos filhotinhos pelo cangote. Fez a viagem até sua casinha e lá depositou, vivo e salvo, o gatinho. Cumpriu com extraordinária precisão as outras sete viagens, sempre transportando com a boca, pelo cangote, os outros sete gatinhos até sua casinha. E lá deixou os oito gatinhos abrigados na casinha, junto com o papagaio. Estão lá vivendo até hoje os gatinhos, crescidos, alimentados por leite servido pela dona do sítio, em convívio estreito com o papagaio e a cadela.
* * *
Esta é apenas uma das milhares de histórias de meiguice animal, que sai do anonimato apenas porque uma manicure resolveu contá-la para um colunista de jornal.
*

Saturday, November 12, 2005

Novo livro de Allende



Descoberto a correr na alucinante hora de almoço de ontem, ali para os lados do Saldanha numa livraria de centro comercial...

Descobri uma entrevista com a autora a propósito do livro
*

Lisboa...



...com terramoto e um pouco mais
*

Breves



No sítio do costume claro, gostei das reportagens sobre Ocelotes e ainda a outra sobre o Nepal: Quem são os maoístas e porque transformaram este reino dos Himalaia num lugar de morte?

Reportagens sempre acompanhadas de excelentissimas fotos...

Ponto de situação



Para quem pergunta aqui fica: a minha presença menor que a habitual no blog deveu-se a ferias a semanas atras e agora ao inverso, o trabalho nao me está a deixar com grandes folgas.

Preve-se dias mais risonhos e blogueiros daqui a outras tantas semanas :-)

Entretanto deixo uma dica: o texto e a galeria de imagens de Estreito de Lembeh vale sem duvidas uma visita virtual
*

Nature's Palette


Outono em Acadia

Vale ler o texto e visitar a galeria de imagens
*

Monday, November 07, 2005

Falar de Blogues



Quando e como nasceram os blogues? Como evoluíram? Em que terrenos se têm afirmado? Estas e outras questões serão discutidas no próximo dia 10, no ciclo Falar de Blogues, a decorrer na livraria Almedina. António Granado, do blogue Ponto Media, Catarina Rodrigues, que organizou o 2º Encontro de Weblogs, Joana Amaral Dias, do Bicho Carpinteiro, e Rogério Santos, do Indústrias Culturais, são os convidados.

Livraria Almedina - Quinta, 10 de Novembro, 19 horas

(na Agenda Cultural de Lisboa, Novembro)
**

Terence McKenna



Em 'O Pao dos Deuses', Terence McKenna, autor de vários livros, fala de drogas incluindo o açúcar, álcool e tabaco comum além de costumes, botânica e muito mais. Mereceu de Tom Robbins a crítica: ‘Terence McKenna é o mais importante - e divertido – académico visionário da América. Desconhecer as suas descobertas etnobotânicas é desconhecer a pulsão central da consciência humana – a qual não é vegetar com as moscas do esterco, e sim voar com os deuses’


*
Palavras de Terence McKenna:

‘A supressão do fascínio natural que sentem os seres humanos pelos estados alterados de consciência está ligada de forma intima e casual com a actual situação de perigo em que se encontra toda a vida na terra. Ao suprimirmos as aguas emocionais que flúem de um relacionamento profundamente ligado, quase simbiótico, com a terra. Em consequência disso desenvolvem-se e perpetuam-se estilos sociais mal adaptados a sobrepopulação, o desperdício de recursos e a intoxicação ambiental.. Nenhuma cultura na terra se encontra tão profundamente narcotizada quanto o ocidente industrial em termos de acomodação ás consequências do comportamento mal adaptado. Procedemos como se nada fosse numa atmosfera surreal de agravamento das crises e de contradições irreconciliáveis. ‘

*
‘Na década de sessenta, a moda dos cabelos mais compridos para os homens, concomitante ao uso de marijuana nos Estados Unidos, é um exemplo clássico de um influxo de valores aparentemente femininos acompanhando uso de uma planta dissolutora de fronteiras. A reacção histérica a um ajuste tão pequeno nos costumes revelou a insegurança e a sensação de perigo que sente o ego masculino em presença de qualquer factor que possa restaurar a importância da parceria nas relações humanas.’
*
‘A televisão fez o seu trabalho e criou no pós-guerra uma cultura americana do tipo Barbie-e-Ken. Os filhos de Ken e Barbie afastaram-se fugazmente da intoxicação da tv em meados dos anos sessenta através do uso de alucinogénios. […] Uma dose dupla de terapia televisiva e cocaína foi prescrita para os hippies errantes , e rapidamente eles foram curados e transformados em yuppies orientados para o consumismo’

in Terence McKenna - O Pão dos Deuses
*

Deus Nórdico: Norueguês dos Bosques



Esta raça de gatos o Norwegian Forest Cat, existe em Portugal desde a década de 90 embora as primeiras referências em canções norueguesas datem de 1837

Descrição da raça e outros detalhes na revista abaixo, com outras coisas interessantes para ler

In: revista Cães e Gatos – último trimestre de 2005
*

Wednesday, November 02, 2005

Pelos Olhos dos Deuses...



..é como se chama o novo livro prestes a ser editado de Robert Haas, fotógrafo que mais uma vez traz espetaculares imagens do continente africano
*

Y K Centeno




Agora que já dormes
há rio no teu sono, há mar?

Passeias na praia longínqua
paras nalgum rochedo

vês os montes
a serra

sopras a flor das amendoeiras
como se fosses vento

apanhas camélias brancas

enfeitas o cabelo

és feliz
na noite do teu tempo?


Y K Centeno
*

Palavras breves…


imagem

A palavra que digo,
A palavra que esqueço,
Qual delas me redime?
*
Palavras-tubarão
arreganhando
os dentes
*
Sou apenas um sinal
Sou apenas um caminho
(quantas vezes percorrido
Até chegar ao destino?)
*
Montanhas no horizonte:
A imensidão do caminho.
*
A placidez do dia
no desencontro
das horas.
*
Horizonte feliz:
céu e mar
confundidos.
*
Retirado de
a Oriente
de
Yvete K Centeno
*

Nutrição energética


imagem

O que nos interessa [nos alimentos] é a sua energia.

E, para sabermos aqueles que nos podem, de facto nutrir, teremos de ver como é que os alimentos evoluíram na terra, estabelecendo um paralelismo com a nossa própria evolução
Aqueles que nos estão mais próximos são os que, tal como nós, foram os últimos a aparecer na espiral evolutiva da natureza – os cereais. São, por isso, os que menos choque físico-vibratório nos podem causar. ‘Para nós os mais correctos em termos energéticos’

Bem Estar Interior de Maria José Costa Félix
(Cap. Alimentação como Nutrição Energética)

*

Kiseniologia ou as memórias do corpo


Wilhelm Reich tambem se dedicou a este tema

O corpo nunca esquece aquilo que lhe fazemos.

E as variadas doenças que nos afectam exprimem as múltiplas feridas da criança que nos habita.

E através dos músculos que o corpo nos vai dizendo o que sabe acerca de nós próprios a todos os níveis – emocional, mental e espiritual. As memórias que, desde os nossos primeiros tempos de vida, foi guardando. Dores antigas. Feridas que nem imaginávamos que alguma vez tivéssemos tido e sobretudo estivessem ainda por curar.

Existe uma técnica que interpretando o movimento do músculo nos permite apressar o processo de limpeza de tudo o que existe dentro de nós em desequilíbrio, condição indispensável para viver sem doenças: a kiseniologia.
Qualquer músculo pode servir para essa revelação do corpo
Sendo de carácter fisiológico, a resposta muscular escapa ao controle mental consciente. E, através do teste muscular, comunicamos com a consciência do corpo, que é a nossa própria fonte de informações.
Todos os medos, todas as raivas, as dores que aí se foram acumulando desde o momento em que fomos concebidos, estão lá. Presentes mas recusadas e esquecidas pelo mental consciente, a determinar as nossas reacções no presente, sem que disso nos apercebamos.

Enquanto as emoções do passado mexerem connosco, não podemos dispor, por exemplo, do fantástico potencial do nosso córtex frontal – sede das nossas decisões, da capacidade de escolha –, porque continuamos comandados por uma região do cérebro que nos obriga a reproduzir sempre os esquemas de reacção do passado.

Cap. Kiseniologia/Bem Estar Interior - Maria José Costa Félix
*

Chi Kung


Maria José Costa Félix è autora de vários livros

O Chi Kung ajuda-nos a aumentar a vitalidade – física, emocional, mental e espiritual
[…]
Chi Kung não é um conjunto de conhecimentos. Sim uma arte que se vai aprendendo e experimentando através de uma pratica diária. Um pouco como aprender a tocar piano. Tem de se começar por conhecer as notas.

Uma das primeiras coisas que se aprende a que é da maior importância respirar suavemente e que aquilo que se respira não é apenas ar, mas a energia que existe no universo em que estamos inseridos.

Outra coisa importante é estar relaxado.

E a terceira é praticar diariamente os exercícios – que consistem em gestos extremamente simples, visualização e respiração e cuja finalidade única é estimular o fluxo de energia no interior do corpo. Têm nomes muito sugestivos: ’levantar o céu’, ‘empurrar a montanha’, transportar a lua’.
[…]
Um conceito importante no Chi kung é precisamente o de que a energia que nos habita nos une ao universo, na medida em que é a mesma que lhe dá vida (no Chi Kung, geralmente fala-se de ‘energia vital’ relativamente à que está dentro do nosso corpo e ‘energia cósmica’ quando nos referimos á que se encontra fora de nós).
`
É por isso que, quando a energia de alguma coisa ou acontecimento se mistura com a de outro, ambos os pólos são afectados.

É também por isso que os sentimentos profundos de alguns seres humanos conseguem ‘mover o céu e a terra’.

Bem-Estar Interior - Maria José Costa Félix
*

Thursday, October 27, 2005

Divulgar causas justas


Visite o site da Animal

Porque a divulgação é fundamental, passo em post a carta abaixo.

Diz respeito a todos os que se preocupam com a causa da dignidade inerente - ou que o devia ser - a toda a vida e não só à vida humana.



Como o dinheiro pode comprar a felicidade de tantos animais


Porto, 22 de Outubro de 2005



Cara/o Amiga/o,

Antes de mais, muito obrigado por toda a atenção que sempre dedica às mensagens da ANIMAL. E é exactamente porque esta mensagem, apesar de longa, é muito importante, que lhe pedimos que a leia com atenção e até ao fim.

Diariamente, a ANIMAL recebe inúmeros apelos para que diferentes animais, de diversos tipos, nas mais diversas situações de abuso, abandono ou exploração, sejam ajudados. Na maior parte dos casos, pela dimensão e frequência destes, a ANIMAL não tem respostas práticas para estes problemas que nos são denunciados ou que de algum modo chegam ao nosso conhecimento. A título de exemplo, se o apelo em causa se reporta a um caso de abandono de algum animal, falta à ANIMAL um santuário para animais e, se lhe falta um santuário, é porque lhe faltam os meios para o poder criar. Se o apelo for a propósito de um caso em que algum animal precise de cuidados médicos, falta à ANIMAL um hospital veterinário ou, pelo menos, os meios para poder custear as despesas desses cuidados médicos numa clínica veterinária particular. Se o problema for um caso de crueldade, falta à ANIMAL a capacidade financeira para ter profissionais numa autêntica divisão anti-crueldade que, tal como acontece com organizações de outros países, garantissem que os animais vítimas de crueldade fossem resgatados e que, com o apoio de advogados, os seus detentores fossem judicialmente responsabilizados pela crueldade de que fossem autores. Faltam à ANIMAL os meios financeiros para contratar advogados que possam corresponder aos muitos pedidos de apoio judiciário que nos chegam para casos em que o apoio de um advogado seria tão importante para apoiar pessoas, grupos e outras associações em esforços particulares de protecção de animais em perigo. Se é juridicamente possível apreender um animal que esteja a ser vítima de violência num circo ou que esteja numa jaula miserável num parque zoológico, falta à ANIMAL um santuário onde colocar esse animal ou falta à ANIMAL o dinheiro para pagar a operação de apreensão e transporte de um animal apreendido para um santuário em África, na Europa ou na América do Sul. Se um animal precisar de ser salvo de uma situação de perigo ou de uma catástrofe, a ANIMAL não tem condições para ter uma equipa que responda a um caso desses de uma maneira eficaz, profissional e sistemática. Se é preciso interromper um combate de cães ou de galos, falta à ANIMAL, mais uma vez, o santuário onde colocar esses animais, como faltam as condições para ter uma divisão anti-crueldade para, com as polícias, se encarregar operacionalmente de combater os combates de animais. A recepção ou apreensão de animais exóticos que estejam em circuitos de tráfico são extraordinariamente difíceis, pela falta de um santuário, tanto quanto pela falta de profissionais que, em colaboração com as autoridades, fiscalizem, previnem e combatam o tráfico de animais exóticos, tão comum em Portugal. E, se um caso aparentemente simples mas emocionalmente complexo de um animal cujo detentor tenha falecido e para o qual seja preciso encontrar um espaço com pessoas que se dediquem a dar-lhe a atenção, apoio e segurança de que precisa para poder continuar vivo, saudável e poder recuperar a felicidade que a perda da família lhe terá levado, a ANIMAL encontra-se, uma vez mais, perante muito sérias dificuldades.

Porém, nem tudo são limitações e impossibilidades. Disponível e operacional 24 horas por dia, em todos os 365 dias do ano, a ANIMAL procura dar a melhor resposta possível, dentro dos meios que tem disponíveis, a todo este tipo de situações, sendo de destacar que são diversas e que se multiplicam em cada hora. Além das campanhas de sensibilização, alerta e protesto que a ANIMAL organiza, além das escolas que visita e das universidades onde organiza e participa em palestras e debates, levando a mensagem a favor dos direitos dos animais a crianças e jovens, além dos panfletos informativos e brochuras de campanha que distribui nas ruas, além das manifestações de protesto que promove contra diferentes formas crueldade contra animais, além do contacto que mantém e que desenvolve com autoridades e com responsáveis governamentais, parlamentares e municipais para tentar fazer com que a protecção dos animais avance em termos práticos e legislativos, além da comunicação que mantém com as pessoas que também se preocupam com os animais, além do constante esforço para captar a atenção dos órgãos de comunicação social e da sociedade portuguesa para os problemas que afectam negativamente os animais e para as alternativas e soluções que podem e devem ser procuradas e implementadas para pôr fim aos últimos, além de tudo isto, a ANIMAL desenvolve também um outro tipo de trabalho, menos visível, menos comunicado.

Embora com meios muitíssimo limitados, a ANIMAL faz salvamentos de animais em risco, encaminha animais para tratamento médico e responsabiliza-se pela recuperação destes, recebe queixas e denúncias e procura investigá-las e dar-lhes andamento, dá informação às pessoas sobre como podem elas próprias combater, prevenir e denunciar a crueldade contra animais, e sobre a legislação que devem conhecer e que podem usar para o poderem fazer, despoleta a apreensão de animais e envia-os para santuários e outros espaços seguros, bloqueia circuitos cruéis e ilegais de exploração e crueldade contra animais, entre um número de outras iniciativas que desenvolve e que, de menor destaque público, não são comunicadas, embora sejam desenvolvidas.

O Rambo, a Magda e a Greta são uma família de babuínos que vivia enclausurada numa jaula de um zoo na Madeira. Com a colaboração entre a ANIMAL, a Secretaria Regional do Ambiente da Madeira e a Born Free Foundation, esta família de babuínos encontra-se hoje num santuário de primatas na Zâmbia, onde pode conhecer a liberdade e a felicidade que um zoo nunca lhes poderia dar. O Jeremias é um porco que era usado num divertimento de uma zona rural, para que crianças pudessem montá-lo e assim divertirem-se. O Jeremias era um animal explorado e tão infeliz, quanto o são tantos póneis condenados em carrosséis de feiras do país. Com a intervenção da ANIMAL, o Jeremias está hoje em segurança e liberdade numa quinta, onde foi recebido com muito cuidado e onde é e será sempre visto como um amigo e um protegido, e não como fiambre ou um conjunto de bifes, menos ainda como um divertimento. A Joana é uma galinha que, com dois patos, o Wagner e o Verdi, tinha os dias contados. Numa exploração doméstica, estavam prestes a ser transformados em refeições. Além disso, eram vítimas de crueldade por parte do criador que os mantinha. Com a intervenção da ANIMAL, a Joana, o Wagner e o Verdi foram fazer companhia ao Jeremias, na mesma quinta. O Tridente era um cão que, abandonado numa berma de estrada na Maia durante horas a fio com convulsões sucessivas, foi resgatado pela ANIMAL, ao cabo de semanas e semanas de sofrimento. Apesar dos esforços para o salvar, a esgana terminal tinha-o já deixado cego, sem qualquer controlo dos membros, limitando-se a arrastar-se pelas ruas, com a sua carne rasgada pelo alcatrão. Percebendo-se que estava já num estado completamente irrecuperável, o Tridente teve, pelo menos, o alívio do seu sofrimento, quando só já só tinha convulsões consecutivas, sem que a medicação para as controlar fizesse qualquer efeito. O Tim, por seu turno, era um cão aparentemente muito velho, que estava caído numa poça fria, numa rua do Porto, onde parecia que tinha perdido o interesse pela vida. Sem conseguir mexer as pernas, tendo cerca de 30 mordeduras em toda a cabeça e estando abandonado, o seu futuro parecia tão negro como o seu presente. Resgatado pela ANIMAL, o Tim é hoje, uma semana depois, um cão feliz, brincalhão, com mobilidade total, e com uma energia e alegria visíveis. Mais do que o salvamento e os cuidados médicos que recebeu, foi o carinho que tem recebido que lhe devolveu o gosto pela vida.

Todas estas intervenções da ANIMAL (que se reportam apenas às duas últimas semanas), foram e são possíveis porque a ANIMAL tem alguns meios para desenvolver o seu trabalho. Quando a ANIMAL distribui panfletos contra as touradas, isso acontece porque recebeu donativos que lhe permitissem pagar os 1.230 Euros que a produção desses panfletos custou. Quando realiza acções de educação sobre protecção dos animais em escolas, a ANIMAL está a utilizar, todos os meses, 500 Euros que resultam dos donativos e quotas dos sócios da organização. Quando a ANIMAL levou o Tim ao veterinário, conseguiu fazê-lo porque alguém doou à ANIMAL os 220 Euros que o seu tratamento custou. Quando a ANIMAL, em 2004, realizou a maior campanha judicial para impedir provas de tiro aos pombos em Portugal – sendo de destacar que, até agora, durante 2005, não houve nenhuma prova de tiro aos pombos a realizar-se, tão persistente foi o trabalho jurídico feito –, mais uma vez, isso foi possível porque se reuniram os 3.500 Euros que essa campanha exigiu. E, quando a ANIMAL despoleta a apreensão ou resgata um animal e o instala num santuário fora do país ou numa quinta onde alguém se disponha a recebê-lo e tenha condições para tal, isso deve-se ao facto dos apoiantes da ANIMAL o tornarem possível com os seus donativos e contribuições. Mas a verdade é que a ANIMAL está, mesmo assim, muito limitada nos seus meios e nas suas capacidades, apesar de ter em projecto a criação de dois hospitais veterinários, de um grande santuário para animais, apesar de estar a preparar-se para dar um passo fundamental para acabar com o sofrimento dos animais nos circos portugueses, e apesar de ter importantes campanhas contra a produção, comércio e uso de pêlo de animais e contra as touradas em fase de planeamento, estando uma detas campanhas – contra as peles – para se realizar neste Inverno. A ANIMAL sabe como concretizar todos estes projectos e todas estas iniciativas e tem a consciência exacta de quão importantes são os animais e os seus direitos e de quão justo é que estes sejam respeitados e protegidos. Além disso, a ANIMAL tem a preparação e o conhecimento, tem a vocação e tem a vontade e a determinação para cumprir esta tarefa. Mas faltam-lhe os meios.

Pensar-se-á que a quantidade de dinheiro necessária para que todos estes projectos e iniciativas se concretizem é tremendamente grande. E é verdade. É enorme. Podemos falar mesmo de milhões de euros. Mas, se essas quantias parecem impossíveis de conseguir, a verdade é que conseguir angariar o dinheiro para ajudar, em termos práticos, tantos animais pode não ser tão difícil como parece. Se tivermos em consideração que a ANIMAL tem 8.000 pessoas que acompanham activamente as actividades e iniciativas da ANIMAL, recebendo as comunicações da organização e participando nas campanhas lançadas seus apelos, e se supusermos que cada uma destas pessoas doa 1 Euro por semana à ANIMAL (ou seja, 4 Euros por mês) para a ajudar a desenvolver o seu trabalho em defesa dos animais, chegamos à conclusão que a ANIMAL poderia, através deste pequeno mas importante donativo, ter pelo menos 8.000 Euros por semana para desenvolver o seu trabalho, ou seja, 32.000 Euros por mês. Com este nível de recursos, a ANIMAL poderia ajudar muitos mais animais do que presentemente ajuda. Na verdade, com estas condições, a ANIMAL poderia trabalhar com os meios suficientes para mudar radicalmente o quadro demasiadamente negro que é a vida de tantos e tantos animais em Portugal. Diz-se que o dinheiro não compra a felicidade, mas, no caso dos animais, porque são sempre alvo de relações de poder e de propriedade, o dinheiro pode comprar a felicidade de muitos, mas mesmo muitos animais. O dinheiro pode comprar a possibilidade de muitos animais poderem ser resgatados e poderem viver tranquilos, seguros e felizes. Pode comprar a protecção e o apoio directo a animais individuais, pode comprar iniciativas para pôr fim ao sofrimento de um conjunto grande de animais afectados por um problema específico e pode comprar campanhas para sensibilizar as pessoas para a importância de respeitar e proteger os animais. Por isso, por favor considere a hipótese de fazer um donativo regular de 1 Euro por semana à ANIMAL (através do NIB 003600939910003447469 – Montepio Geral, ou da forma que preferir). Com a sua contribuição, a ANIMAL pode fazer avançar decisivamente os direitos dos animais em Portugal.

Em nome da ANIMAL e da sua equipa, reconhecido pela sua generosa preocupação com os animais e grato pela sua importante e muito apreciada atenção e participação nas iniciativas da ANIMAL, despeço-me com as mais cordiais saudações, na sincera esperança de que possa corresponder a este apelo.


P´la ANIMAL, Pelos Animais,

Miguel Moutinho
Presidente da Direcção da ANIMAL

Trilogia de Dan Brown



Anjos e Demónios foi o primeiro seguido de O Código Da Vinci. Está agora previsto para início de 2006 o novo livro com que Dan Brown fecha a triologia: 'Deception Point', o tema é já falado: 'uma crise na política espacial dos Estados Unidos, com a aterradora descoberta de um objecto raríssimo enterrado no Árctico.'

Fiquei curiosa... eu tenho gostado bastante de ler este autor.
*

Tuesday, October 25, 2005

Ouvi e gostei...

...de “Our Hearts Will Beat As One” e de "Adeus/Não Afastes Os Teus Olhos Dos Meus" de David Fonseca
*

Quem for ao link acima e estiver em Lisboa, encontra algumas dos locais de promoção nos proximos dias.
*

Saturday, October 22, 2005

Sete mares



Tem mil anos uma história
de viver
Há mil anos de memória a contar

ai, cidade á beira-mar
azul


Se os mares são só sete
há mais terra do que mar ...
Voltarei amor com a força da maré
ai, cidade à beira-mar
ao Sul

Hoje
Num vento do Norte
Fogo de outra sorte
Sigo para o Sul
Sete mares

Foram tantas as tormentas
que tivemos de enfrentar...
Chegarei amor na volta da maré
ai, troquei-te por um mar
azul

Hoje
Num vento do Norte
fogo de outra sorte
Sigo para o Sul
Azul
*
Sete mares - Sétima Legião
*