Thursday, August 23, 2007

De notícias que, sabe-se-lá-porquê, não têm visibilidade!



A última revista Instinto, disponível gratuitamente nas lojas e clínicas de animais, traz uma pequena notícia na rubrica Breves muito interessante:

Rotweiller salva mulher de afogamento
No Brasil, uma empregada doméstica foi salva por um rotweiller depois de ter caido na piscina da casa onde trabalha. Sem saber nadar, a mulher, de 53 anos, foi resgatada do fundo da piscina pelo cão da família, um macho Rotweiller, de oito anos, raça que nem sempre se associa a boas notícias.

E mais não diz.

Coloquei uma busca na web e nada encontrei a não ser no estrelas(de)cadentes uma chamada de atenção: o bom rottweiler, ao jeito desta que aqui estou postando

Já agora vale a pena ler o post anexo a esse: Como tratar de gatinhos órfãos; está super-útil, eu diria que nunca vi tanta informação indispensável e correcta sobre o tema condensada em tão curto espaço!

Voltando à questão dos polémicos rottweilers, eles têm a par com pitbulls, periodicamente destaque nos meios de comunicação de forma contundente e agressiva, por ataques, aparentemente sem razão, praticados por essas raças sobre outros animais ou pessoas

No entanto, este tipo de notícia positiva acima descrita, passa gloriosamente omissa de qualquer destaque...

Todos sabemos que as razões de ter um cão, muito especialmente um cão de porte defensivo nem sempre são as melhores...muitas vezes eles são apenas a projecção e compensação de problemas pessoais e um modo de afirmação do 'dono'.

Quando assim é, e o animal -que tem corpo e carácter que lhe permitem rebelar, reage da pior maneira, o culpado e a vítima são achados na hora graças ao preconceito especista que todos temos muito bem herdado e culturalmente atarraxado dentro de nós: o cão é morto a maioria das vezes sem que qualquer outra hipótese seja considerada.

[...] canais de televisão [...] apenas escolhem títulos que denigram cada vez mais as raças consideradas perigosas, sem nunca apresentarem todos os factos da história. Exemplo disso é o caso que remonta a Outubro de 2005, em que o actor Tiago Fernandes, então com 14 anos, foi mordido por um Pitbull. O que nenhuma televisão referiu foi que a criancinha costumava atirar paus e pedras ao cão. Por isso, o caso continua em tribunal e sem solução à vista. O cão teve alguma sorte: não foi abatido, mas entregue a uma associação que reabilita cães
considerados agressivos.


Em tempo: porque nunca é demais repor a verdade e fazer justiça deixo mais uma vez esse excelente vídeo
*
Depoimento da Patrícia, que se atreveu e adoptou com sucesso um pitbull abandonado de...
5 anos!
*

2 comments:

  1. vou com frequencia a casa de uma pessoa q tem um rottweiller. Ele está sempre solto no jardim e vem ao portão qd toco à porta. Fica a cheirar por detrás do gradeamento fechado , sem ladrar. Qd a dona abre o fecho automático eu entro calmamente , ele apenas me pede festas e mimos e quer entrar tb em casa atrás de mim, o q deixa a dona um pouco enciumada, embora sorria das gracinhas do menino.
    No entanto, este mesmo rott ladra furiosamente a um dos guardas que faz a segurança daquela zona!!

    Beijinhos. Com bons dias de resto de férias

    ReplyDelete
  2. concordo com vc.

    esse preconceito especista está muito presente nas mentes por aí...

    e o pobre do cachorro (e dos outros animais tb, claro) sofre! colocar a culpa no bicho é o que há... pois isso é bem mais fácil e mt menos complexo do que assumir nossas verdadeiras culpas, responsabilidades e toda a neurose da sociedade que construímos.

    ReplyDelete