Friday, August 19, 2005

Alimentos II


imagem do filme A Fuga das Galinhas

Nas condições que são norma nas modernas unidades de produção de ovos dos Estados Unidos, da Grã-Bretanha, e em quase todas as nações desenvolvidas, com excepção da Suíça, Países Baixos, e da Suécia, são frustrados todos os instintos naturais que as aves possuem. Não podem andar, esgravatar no solo, tomar banhos de pó, construir locais de postura ou estender as asas. Não fazem parte de um grupo. Não podem afastar-se dos outros indivíduos e as aves mais fracas não tem forma de escapar aos ataques de outras mais fortes, enlouquecidas pelas condições artificiais em que se encontram.

As aves que se encontram nas instalações de postura são histéricas
[…]
A impossibilidade de construírem um local de postura e ali porem o seu ovo é outra fonte de angústia para as galinhas. Korand Lorenz considerou o processo de postura como sendo a pior tortura a que se encontra exposta a galinha poedeira:
Para uma pessoa que saiba alguma coisa de animais é verdadeiramente de partir o coração ver como uma galinha tenta vezes a fio rastejar para debaixo das suas companheiras de gaiola, procurando ali refúgio, em vão. Nestas circunstâncias, as galinhas tentarão sem duvida reter os ovos tanto tempo quanto lhes for possível.
[…]
Embora qualquer confinamento em gaiola seja questionável, o princípio de que a gaiola deverá ser suficientemente grande para permitir que as aves possam estender livremente as suas asas parece ser o requisito mínimo absolutamente necessário (e assegurado na lei para a protecção das aves, aprovada em 1954, clausula 8ª, subsecção 1, como prevenção da crueldade para com as aves)
[…]
Podemos assim supor que as gaiolas na Grã-Bretanha devem ser suficientemente grandes para permitir aos animais esta liberdade mínima? Não. Existe uma pequena mas significativa adenda: estipula-se que esta subsecção não se aplica a aves de capoeira (…)

Esta disposição espantosa é testemunho da força relativa dos desejos que emanam do estômago relativamente àqueles que derivam da compaixão , num país que tem reputação de tratar bem os animais. Não existe nada na natureza daquelas aves que chamamos "aves de capoeira" que as torne menos desejosas de estender as asas que as outras. A única conclusão que podemos tirar daqui é que os membros do Parlamento britânico são contra a crueldade excepto quando esta lhes trás o pequeno almoço..

In Libertação Animal – Peter Singer
capitulo visita a uma unidade de criação intensiva


~~~
Texto, sobre o mesmo tema.
*

No comments:

Post a comment