Friday, April 07, 2006

Muralha da China


National Geographic

Uma série monumental de muralhas, erguidas para repelir invasores, serpenteia pela história chinesa. Hoje em dia, o país dá as boas-vindas aos visitantes (e às suas carteiras). A muralha de Juyongguan, perto de Pequim, é visitada por mais de um milhão de turistas por ano, mas os conservacionistas clamam que a actividade comercial está a degradar este tesouro arqueológico.

Em qualquer funeral chinês, existe pelo menos uma pessoa feliz. Fiquei a sabê-lo ao viajar de carro pelo Norte da China, uma região com muitas lições para aprender. Percebi também que se deve evitar conduzir de noite, com chuva ou pelas pequenas estradas vermelhas que serpenteiam pelo mapa como vasos capilares. Nos postos de gasolina chineses, segundo apurei, a maioria dos empregados são mulheres jovens que nos oferecem muitas vezes de graça um par de luvas de condução de algodão branco, se atestarmos o depósito. Aprendi a ter cuidado com os Volkswagen Santana de cor preta, frequentemente conduzidos nas zonas rurais da China por funcionários subalternos do Partido Comunista, considerados dos motoristas mais agressivos do país. No Norte da China, encontram-se muitos Volkswagen Santana.

Depois de alugar um jipe, uma tenda e um saco-cama, parti para oeste. Sentia-me apreensivo por não saber como reagiriam as autoridades a um estrangeiro a deambular pela estrada; por isso, como medida de precaução, planeei dividir a jornada em duas etapas: o Outono e a Primavera. Parti de Pequim, onde moro, e fui de carro até à província de Hebei, onde dei início ao percurso. Fazia tenção de andar por estradas rurais, seguindo o itinerário da Grande Muralha da China.

mais na National Geographic de abril
*

No comments:

Post a comment