Friday, August 18, 2006

Joie de vivre


imagem

Só através da sua própria experiência - não pelo que Buddha diz, não pelo que eu digo... só através da sua própria experiência, um dia você será capaz de ir além de todos os relacionamentos. Desse modo você pode ser feliz sozinha. E a pessoa que pode ser feliz sozinha é realmente um indivíduo. Se sua felicidade depende do outro, você é um escravo; você ainda não está livre, você está em escravidão.

Quando você for feliz sozinha, quando você puder viver consigo mesmo, não haverá nenhuma necessidade intrínseca de estar em relacionamento. Isto não quer dizer que você não irá se relacionar. Relacionar-se é uma coisa, e estar num relacionamento é coisa bem diferente. Relacionamento é um tipo de escravidão, relacionar-se é compartilhar. Você irá se relacionar com muitas pessoas, você irá partilhar sua alegria com muitas pessoas, mas você não irá depender de ninguém em particular e você não irá permitir ninguém mais depender de você. Você não irá ser dependente, e você não permitirá que ninguém seja dependente de você. Assim você vive da liberdade, da alegria, do amor.
(Osho)
*

2 comments:

  1. Osho era um bacano e olha que eu já li e tenho vários livros dele, no entanto acho-o um pouco utopico demais, o ser humano precisa sempre da apreciação e afectividade dos outros para ser feliz lembra.te de uma coisa tudo aquilo que tens foi obra e esforço de outros: o computador aonde estou a escrever isto a cadeira o meu almoço a minha roupa tudo tudo foi obra de outras pessoas, mas eu percebo aonde ele quer chegar essa depêndencia excessiva é imaturidade, nós temos de ser felizes sozinhos para os relacionamentos darem certo, mas olha porque existem tantos Blogs para que as pessoas troquem ideias e se comuniquem....

    ReplyDelete
  2. Claro que sim, CC. Os 'outros', em sua multiplicidade de relacionamentos possiveis são sempre o nosso espelho e é saudável que assim seja. No entanto, talvez por ter uma faceta bastante independente nao me parece bom para ninguem assentar as paredes mestras de uma vida e bem estar na dependencia de outrem. Adoro compartilhar em igualdade e acredito em afinidades profundas. No que concerne ao amor romantico, (e é obvio que esse é o relacionamento mais badalado na generalidade) é o tratado no contexto em que o Osho fala e na minha interpretação ele apenas aconselha partilhar o sentimento em liberdade, sem subjugação mental.
    Pela parte que me toca não podia estar mais de acordo!
    Afinal eu até acredito profundamente quesomostodosum :)

    ReplyDelete